17 de junho de 2024
Raiza Goulão
Raiza Goulão - Foto: Divulgação / Copa Chile Internacional

Raiza Goulão comenta seu início de temporada com vitória no Chile

Atleta de Pirenópolis inicia temporada de MTB com duas vitórias (XCC e XCO) na Copa Chile Internacional

Primeira prova do ano, ou seja, como ainda estamos no ritmo dos treinos de base, saí bastante da rotina que eu estava levando até chegar aqui no Chile. Ainda não estou treinando estímulos de explosão, algo que definitivamente a gente encontra nas provas de Cross-Country.

Estar aqui é muito bom para entrar no ritmo de viagem, de avaliar o que precisa ser melhorado. Começar a se encaixar mentalmente, principalmente nesse dia a dia que teremos daqui pra frente, com várias viagens e muito pouco tempo em casa, em Pirenópolis (GO).

Vir para o Chile é sempre uma experiência muito boa, um país onde nós somos sempre bem recebidos. Tenho que agradecer principalmente ao Pedro e ao Jorge, organizadores da Copa Chile Internacional – Etapa Valdivia. Eles nos receberam super bem, literalmente dentro de sua casa.

Raiza Goulão
Raiza Goulão – Foto: Divulgação / Copa Chile Internacional

Um evento feito em um parque de Valdivia, com boa presença de público, ou seja, um calor a mais para nós atletas. A viagem foi longa, com escalas em São Paulo e Santiago para mim que saí de Brasília. Ao chegarmos no nosso destino final, o principal foi se adaptar à pista.

Consegui me recuperar bem e dar ao corpo o tempo de descanso necessário. Na sexta-feira (27), tivemos o Short Track (XCC), prova de explosão, que já foi a primeira vitória do ano. Pontinhos importantes nos rankings olímpico e mundial, por ser Classe 3 (10 pontos).

Sábado (28) foi um dia de treinamento mais suave, fazendo manutenção, com poucos estímulos. O foco principal era a prova do domingo (29), uma Classe 1, que valia aos campeões 60 pontos nos dois rankings UCI.

Consegui fazer uma boa prova. A largada foi às 11h30, também no mesmo horário do Brasil. Fiz um bom aquecimento e me alimentei bem antes da corrida. Larguei com a estratégia definida, de pedalar no meu ritmo e analisar percurso e concorrentes.

Me conectei perfeitamente comigo e com a bicicleta, executando a estratégia correta na prova. Fiquei surpresa que os estímulos que dei em algumas transições, que exigiam do atleta picos de potência, o que ia criando fadiga ao longo das voltas. Satisfeita com a minha bike e com o que meu corpo deu de resposta.

Sei que tenho muito a fazer para melhorar. Este foi só o primeiro evento da temporada, então sei que vamos trabalhar forte com meu treinador, o Victor Rodriguez, nas próximas semanas, meses.

Feliz pelo resultado, a meta era sair de casa e nunca dar menos do que meu máximo. Saio de Valdivia com dois ouros, XCC e XCO, rumo a Angol, também no Chile, para mais uma prova que faz parte da Copa Chile Internacional. A temporada será longa, mas promete muito!

Sobre a autora

Raiza Goulão Henrique é ciclista olímpica brasileira especializada no Mountain Bike. Campeã Brasileira de Mountain Bike Maratona, foi bicampeã pan-americana de MTB Sub-23 e representou o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio-2016 no cross-country feminino
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização