4 de março de 2024
Bike
Foto: Trek Bikes

Qual é o melhor tipo de bicicleta para você?

Em dúvida sobre quais são os tipos de bicicleta que existem? Veja aqui os principais modelos de bikes, guidões e dicas para fazer a melhor escolha

Se você gosta de ciclismo e quer realizar trajetos sem se preocupar com falhas na sua bike, é aconselhável que conheça os diferentes tipos de bicicleta que existem. Afinal, por mais que você ame pedalar não conseguirá ter o mesmo desempenho e conforto com um modelo que não seja apropriado.

Há várias versões desse veículo, porque cada uma atende uma necessidade específica. Tem bicicletas adequadas para corridas, ir trabalhar, passear, usar por longas horas, andar em trilhas, fazer acrobacias e assim por diante.

Só que com tantas opções é normal que surjam dúvidas a respeito dessas variações. Então, nesse sentido, este texto ajudará você entender a utilidade dos principais tipos de bicicletas e guidões. Além disso, dará dicas sobre como realizar uma boa escolha. Confira!

Quais são os tipos de bicicletas? – Existem bikes adequadas para subir e descer montanha, trabalhar o dia inteiro ou somente ir para empresa, entre outras opções. Assim sendo, veja na continuação uma relação dos principais tipos de bicicletas disponíveis no mercado.

Bike
Foto: Trek Bikes

Urbanas – As bicicletas urbanas são projetadas para levar o ciclista a qualquer lugar, com conforto e conveniência, usando qualquer tipo de sapato e roupa. Elas contam com ótima resistência, para circular sobre asfalto, não pesam muito e exigem pouca manutenção. Por essas razões, muitos preferem esse tipo de veículo para ir trabalhar e para passeios.

As bikes estilo urbano, geralmente, contém pneus lisos que ajudam manter boa aderência e controle de velocidade em pavimentos com poucas ondulações. Elas ainda possuem quadros e selins que proporcionam ótima comodidade. Para encontrar bons modelos, também veja As 10 Melhores Bicicletas.

Bike
Foto: Trek Bikes

Elétricas – Com as bicicletas elétricas você precisa usar menos energia ao pedalar. São veículos perfeitos para trabalhar por longas horas ou realizar trajetos extensos. Elas alcançam até 25 km/h, a potência pode chegar a 350W e o controle da velocidade acontece pelo pedal. Apesar de parecidas com alguns ciclomotores, elas se diferenciam por essas características.

Além disso, custam bem menos e não é necessário ter CNH para pilotá-las. Esse tipo de bike funciona com uma bateria de alta duração. Também existem modelos adultos e infantis específicos para andar nas montanhas, estradas, ruas asfaltadas e de terra. Para conhecer boas opções, confira as 10 melhores bicicletas elétricas.

Para passeio – As bicicletas indicadas para passeio e até para ir para o trabalho normalmente se destacam pela estrutura confortável e vem com diversos acessórios. O selim costuma ser largo e acolchoado, já o quadro leve e, muitas vezes, é rebaixado para melhorar a ergonomia. Também apresentam maior facilidade no uso, porque têm no máximo 6 velocidades.

Elas ainda podem ter um conjunto de para-lamas que evita respingos e/ou protetores de corrente para prevenir acidentes com as calças. Além disso, um bagageiro para transportar coisas sem causar peso nas costas dificilmente falta nesse tipo de bike. Por essas razões, ajudam você a se deslocar pela cidade se mantendo limpo e sem suar muito.

Programa Bicicleta Brasil
Foto: Agência Senado

Dobráveis – Apesar de existir bikes dobráveis para pedalar em montanhas, a maior parte ​​é projetado para uso na cidade. Elas têm haste do guidão longa e rodas de 16 a 20 polegadas que se adaptam melhor ao asfalto e terrenos planos sem obstáculos. Por esse motivo, são recomendadas para ciclistas urbanos habilidosos.

Contudo, com bicicletas desse tipo você conta com a vantagem de guardá-las e acomodá-las em pequeno espaço para levar a diferentes lugares. Há modelos que cabem dentro do porta-malas de carros e bolsas grandes, por exemplo. É possível carregar no transporte público e não precisa deixá-las acorrentadas quando entrar no local.

Bike
Foto: Trek Bikes

Mountain Bikes – Uma mountain bike (MTB) consiste no veículo ideal para quem vai pedalar em regiões montanhosas frequentemente. Com guidões planos, ela força o ciclista a se inclinar para frente e a manter uma boa postura e equilíbrio tanto em subidas quanto descidas. Os selins são mais estreitos e duros para evitar que usuário escorregue durante as pedaladas.

Os quadros são bastante resistentes feitos de aço, alumínio, fibra de carbono ou titânio. O tubo inclinado permite ao piloto dobrar os joelhos com facilidade. Os pneus são largos, grossos e vem com ótimas travas. Esse tipo de bicicleta é melhor para andar em estradas irregulares, atravessar florestas, desfrutar de trilhas rochosas etc.

Speed – Também chamada de bicicleta de ciclismo e bike de asfalto, se trata de um tipo de veículo voltado para melhorar a velocidade e desempenho do usuário. Em comparação com outros produtos, ela apresenta pneus com espessura bem fina. O quadro costuma ser de materiais resistentes, porém leves como fibra de carbono ou alumínio.

Outro detalhe que contribui para o piloto ganhar maior agilidade ao pedalar é que os demais componentes, além de não pesarem, possuem formatos aerodinâmicos. É possível encontrar no mercado modelos com 8 marchas, na média. Portanto, corresponde a uma excelente alternativa para quem deseja pedalar com alta velocidade em solos planos.

BMX – Com uma Bicycle Motocross (BMX) você consegue fazer acrobacias audaciosas e arriscadas sem ficar com medo dela quebrar. Elas são menores, possuem guidão amplo e plano para facilitar as manobras em diferentes tipos de chão. Os quadros têm estrutura compacta e resistente, feita de aço ou alumínio.

Existem modelos para diferentes modalidades de esportes realizados sobre duas rodas. A BMX race, por exemplo, serve para percorrer circuitos tanto de chão de barro como pistas com desníveis extremos. Já as Freestyle dirt jump permitem saltar em rampas de terra, enquanto as Freestyle park são para rampas de cimento ou madeira. Contudo, não dá para andar com essas bicicletas em outros lugares, pois é muito desconfortável.

Bike
Foto: Trek Bikes

Gravel – Uma bicicleta gravel é projetada para ser usada confortavelmente em vias urbanas e estradas cheias de obstáculos. Elas exibem bom desempenho em pequenos,  médios e de longos percursos. Fabricada com guidão do tipo drop bar (barra dupla) permite que o ciclista adote uma enorme variedade de posições com tranquilidade.

Com pneus mais largos mantém aderência adequada nas descidas, controle nas subidas e solos planos. O quadro amplo e inclinado ainda adiciona estabilidade e conforto no uso desse tipo de bike. Portanto, consiste numa opção interessante para aqueles que desejam circular em ruas pavimentadas e fora delas.

Fixa – Este tipo de bicicleta é ideal para um ciclista obter maior habilidade e forças nas pernas. Ele ajuda você a desenvolver a capacidade de pedalar com mais eficiência em condições climáticas adversas, como na chuva, em caminhos lamacentos etc. também melhora seu rendimento em corridas. Além disso, a manutenção é de baixo custo.

Uma bike do tipo fixa possui somente uma marcha, ou seja, não muda de velocidade. Os freios ficam nos pedais, se você para de pedalar as rodas não se movem. Por conta desses aspectos, a pessoa tem que usar a força das pernas para seguir e adquirir boa prática para lidar com os obstáculos.

Infantil – Na categoria de bicicletas do tipo infantil, existe uma incrível variedade de produtos. É possível encontrar modelos com freio traseiro, sem pedal, rodinhas laterais, guidão e selim fixos ou ajustáveis, além de quadros com diferentes estruturas. No entanto, é o conhecimento prático e o tamanho do futuro ciclista que definem qual a melhor escolha.

Quem está começando, por exemplo, precisa de bike que ajude aprender a equilibrar e manter o controle da direção. Por outro lado, há aqueles que já dominam essas habilidades ou estão muito crescidos e não precisam das rodas de lado. Contudo, de forma geral, todas as bicicletas devem permitir que a criança pedale com conforto e segurança.

Bike
Foto: Trek Bikes

Hardtail – Uma mountain bike com suspensão dianteira, também chamada de hardtail, se destaca pela simplicidade e pelo baixo peso. Além de ser custar menos que os outros tipos de bicicleta, ainda conta com fácil manutenção. Aliás, esse detalhe é relevante para ciclistas que costumam andar de bicicleta em condições extremas.

As mountain bikes do tipo hardtail são menores e contém quadro mais curto e não pesam muito. Graças a isso, elas proporcionam maior facilidade no transporte tanto de carro quanto a pé. É um dos melhores veículos para aprender “desenhar” o chão, técnica do pump, flow da trilha, entre outras coisas.

Quais são os tipos de guidão de bicicletas?

Sabia que você pode trocar o tipo de guidão da sua bicicleta por outro modelo que seja compatível? Assim sendo, confira na sequência quais as principais categorias de guidão para escolher.

Cruiser – As bicicletas do tipo cruiser se sobressaem pelo design nostálgico inspirado nas bikes de antigamente. O guidão tradicional desses modelos é reto no centro, com as laterais em  arco virado para a parte traseira da bicicleta. Esse formato torna o controle da direção bastante confortável.

Além do mais, é possível pilotar a bike sem ter de desdobrar exageradamente os braços. Isso favorece para que o ciclista adote uma posição ereta e até treine movimentar o veículo com uma única posição de mão. No entanto, por ser tão longo com contornos grossos, ele não consegue fazer curvas apertadas.

Drop – Este tipo de guidão é comumente usado em bicicletas de estrada e corrida. Eles têm uma seção reta no centro com uma envergadura nas extremidades apontando para a parte traseira da bicicleta. Os drop bars são projetados desse modo para promover a boa posição aerodinâmica do ciclista, deixando seu tronco inclinado para frente.

Eles ainda facilitam as subidas e estimulam o corpo a ficar abaixado para diminuir o atrito com o vento e aumentar a velocidade do usuário. Em alguns modelos, para sprints não há alavancas para acionar freios e marcha. Contudo, em geral, é um pouco difícil manejá-los em desvios fechados.

Bullhorn – O guidão bullhorn apresenta um contorno quadrado com as pontas levemente viradas para cima com uma curvatura de 90 graus. Toda essa composição é criada para o tronco do ciclista ficar inclinado para frente. Eles contribuem para o aumento da velocidade com pouca prática.

Esse tipo de guidão é encontrado em bikes fixas que são indicadas para correr em velódromos, participar de campeonatos e jogar polo de bicicleta. No entanto, da mesma maneira correspondem a uma ótima alternativa para aqueles que desejam simplesmente dar um passeio pela cidade.

Comfort – O comfort se trata de uma versão do guidão rise, porém ele é bem mais elevado e sinuoso. Graças ao design amplo, a direção da bike é bastante agradável, pois você não precisa estender excessivamente os braços. Além disso, as laterais longas permitem que qualquer pessoa segure as pontas confortavelmente, independente do tamanho das mãos.

O usuário pode usar a bicicleta quase como se estivesse sentado e assim, prevenir dores nas costas e pescoço. Normalmente, ele é visto em alguns modelos de bicicletas de estilo urbano. Entretanto, são mais comuns nas do tipo caiçara que não possuem marchas e contam com ótimo desempenho em pavimentos planos.

Borboleta – Este tipo de guidão que tem o formato da asa de uma borboleta é popular entre pessoas que fazem longas viagens de bicicleta. O motivo é que essa aparência diferenciada oferece um espaço maior para colocar acessórios ou equipamento de viagem. Também permite mudar as posições das mãos e reduzir a fadiga dos músculos.

Eles não ficam escorregadios depois de algumas horas de manuseio e você pode personalizá-los com fita de guidão. Compatível com bicicletas urbanas e de estradas com freios a discos hidráulicos, ele é de fácil instalação. De forma geral, consiste numa excelente peça para fazer cicloturismo.

Rise – O guidão riser é um dos tipos mais comuns tanto em bicicletas urbanas como de montanhas. Trata-se de uma barra reta que apresenta uma leve curvatura no centro. Além de conforto, este design proporciona maior estabilidade ao pilotar a bike. O usuário pode apreciar uma paisagem em uma posição relaxada.

Além disso, se você quiser melhorar o desempenho em manobras de baixa velocidade ainda pode usar pezinhos de guidão para que a direção ganhe maior leveza. Outra vantagem do riser é que ele tem compatibilidade com uma série de acessórios e vários freios a disco hidráulicos de variados fabricantes.

Flat – Por ser completamente reto, o guidão flat encaixa em qualquer tipo de quadro de mountain bikes. No entanto, oferece mais vantagem quando usado em bicicletas do tipo MTB XCO e XCC que são voltadas para circuitos variados.  Ele corresponde a uma boa alternativa para os competidores disputarem provas com melhor estabilidade.

A direção fica mais precisa e você consegue realizar manobras complexas com maior firmeza. Contudo, é contraindicado utilizar esse tipo de guidão em viagens longas e agressivas. Ele projeta o corpo do ciclista para frente e para baixo, o que gera dores lombares depois de muito tempo nessa posição.

Como escolher uma bicicleta?

Saber a forma como a bike será usada, o tipo de material, a quantidade de marchas e outros detalhes serve para ajudar você a fazer uma ótima escolha no meio de tantas opções. Então, veja na sequência diversas dicas para encontrar a melhor bicicleta.

Tenha em mente qual vai ser a finalidade da bicicleta

A aquisição de uma bicicleta envolve um investimento razoável, por isso é importante fazer uma escolha adequada. Então, o primeiro item a se avaliar é o uso que você dará a esse veículo, por exemplo, ir ao trabalho, passear, competir, realizar trilhas e assim por diante. Também reflita com que frequência irá pedalar.

Assim, se observar esses aspectos, terá mais chance de comprar um tipo de bicicleta que seja funcional e ofereça o melhor custo-benefício para você. Por exemplo, quem pretende se exercitar em regiões montanhosas várias vezes, precisa de uma mountain bike bem estruturada que no longo prazo não apresente problemas e gere custos extras.

Confira o material da bicicleta ao escolher

O tipo de material com o qual o quadro da bicicleta é feito determina características como peso, durabilidade, capacidade de carga, entre outras coisas. Os modelos fabricados com aço são fortes, fácil de soldar e de baixo custo, porém pesam demais. Por outro lado, os de titânio contam com boa leveza, absorção de impactos e resistência mecânica.

No entanto, as armações composta com esse elemento custam caro. Já o alumínio costuma sair mais em conta, não pesa e nem gera muita vibração, porém é complicado soldá-lo e menos robusto. A bike de fibra de carbono trata-se de uma opção leve, capaz de suportar corridas profissionais, mas não aguenta colisões extremas.

Veja qual é o guidão utilizado na bicicleta

Atualmente, há disponível no mercado bicicletas de todos os tipos com diversos tamanhos e formato de guidões. As medidas da largura vão de 36 cm até 44 cm, contudo os mais utilizados são os de 42 cm e 44 cm. Para escolher o produto ideal, procure um modelo que alcance aproximadamente a extensão dos seus ombros.

Também considere o uso e a maneira que você terá que manuseá-lo. Um guidão mais largo proporciona maior estabilidade e controle ao fazer curvas, porém tem peso extra e não favorece aumento de velocidade. Já os mais estreitos servem para potencializar o rendimento e a aerodinâmica.

Procure saber a quantidade de marchas e os freios da bicicleta

Na teoria, você pode chegar a qualquer lugar pedalando com uma única velocidade, só que precisará gastar uma enorme quantidade energia e força. Então, se sua intenção não é somente melhorar o físico e sua habilidade sobre duas rodas, é aconselhável escolher um tipo de bicicleta que tenha várias marchas.

Geralmente de 2 a 3 velocidades são suficientes para trajetos tranquilos e acima de 7, é melhor para quem vai subir ou descer encostas muito íngremes. Quantos aos freios, para andar na cidade opte por um V-brake ou roller brake. Em montanhas, estradas de terra com pedras etc. prefira os freios hidráulicos ou mecânicos.

Dê preferência para uma bicicleta com amortecedores selins

Se você pensa em fazer, com frequência, passeios ou ciclismo urbano com distâncias médias ou curtas, procure escolher um tipo de bicicleta que tenha um assento com amortecimento. Além disso, se for largo, com acolchoamento, molas e tiver bico pequeno vai te proporcionar muito conforto.

Você também pode optar por um espigão de selim com mola ou outro sistema de amortecimento, que suaviza ainda mais as pedaladas. Contudo, para corridas o melhor é dar preferência para um selim estreito e macio. Nas caminhadas em montanhas, os produtos com pouco enchimento e capa de couro proporcionam maior estabilidade.

Utilize essas dicas e saiba qual é o melhor tipo de bicicleta para você!

Pedalar fortalece a musculatura, faz bem para o coração, diminui o estresse, melhora o equilíbrio, entre outros benefícios. Só que é importante escolher o tipo de bicicleta apropriado para essa experiência ser bastante agradável. Um modelo urbano não terá um bom desempenho subindo montanhas.

Do mesmo modo que as mountain bikes não circulam no asfalto como fazem em trilhas. Além do mais, o tipo de guidão que o veículo contém nem sempre traz o conforto que você deseja e realizar a troca pode ser a solução. Sendo assim, antes de comprar sua bicicleta reflita no precisa para desse modo realizar uma excelente escolha.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização