25 de maio de 2024
Foto: Divulgação / Ibis

Após vencer o câncer, Anne-Caroline Chausson anuncia retorno às competições

Com 15 campeonatos mundiais em sua carreira, atleta mais bem sucedida da história do mountain bike encara o maior desafio de sua vida

Em julho do ano passado, em plena realização da Samoens Enduro World Series, a francesa Anne-Caroline Chausson subitamente abandonou a prova e desapareceu de vista. Poucos sabiam então, mas Anne-Caroline, a maior atleta da história do mountain bike, estava encarando o maior de todos os desafios de sua carreira.

Foto: Divulgação / Ibis
Foto: Divulgação / Ibis

Reclamando de dores no estômago e se sentindo uma espécie de fadiga prolongada, a aleta de 38 anos foi submetida a uma bateria de exames que constatou um câncer no ovário. Após duas cirurgias, quimioterapia e uma pneumotórax (cirurgia realizada para eliminar a presença ou acúmulo de ar ou gás na cavidade pleural), Anne-Caroline – que tem em seu currículo nada menos que 15 campeonatos mundiais -, anuncia seu retorno às competições.

“Eu preciso de uma nova meta. Sempre vivi a minha vida inteira assim, disse ela em uma entrevista ao website da Ibis, sua patrocinadora. “Hoje, minha maior motivação é querer retornar às provas de MTB. Tenho certeza que me sentirei bem melhor quando isto ocorrer”, completa.

Foto: Divulgação / Ibis
Foto: Divulgação / Ibis

Embora ainda admita sentir dores devido devido à última intervenção cirúrgica, Chausson – que foi medalha de ouro no BMX nas Olimpíadas de Pequim em 2008 -, diz que seu principal foco em 2016 serão as provas de Enduro, onde venceu uma temporada em 2015 e três em 2014.

“Pretendo estar pronta para participar da etapa de Whistler em agosto”. Naturalmente, somente alguém como Anne-Caroline Chausson para considerar encarar uma das trilhas mais difíceis do circuito mundial apenas um ano após uma cirurgia invasiva de câncer e denominá-la como algo “fácil”.

Foto: Divulgação / Ibis
Foto: Divulgação / Ibis

Carreira de sucesso – Nascida em Dijon na França, Anne-Caroline Chausson deixou a bem sucedida carreira de piloto de bicicross com apenas dezesseis anos em 1993 para competir no MTB, vencendo os campeonatos mundiais de Downhill em 1993, 1994 e 1995 na categoria juvenil, quando então passou a competir na Elite, onde foi campeã mundial por nada menos que oito anos consecutivos, sendo considerada a maior atleta de DH de todos os tempos.

Chausson foi vice-campeã da Copa do Mundo de Downhill em 1996, atrás da lendária norte-americana Missy Giove. No mesmo ano, venceu o Campeonato Mundial da categoria, derrotando a também norte-americana e ex-campeã de bicicross Leigh Donovan, ficando Giove na 3ª colocação, com a medalha de bronze.

Foto: Eddie Clark Media
Foto: Eddie Clark Media

Em 2000, Chausson passou a competir também no dual slalom, onde venceu o Campeonato Mundial por duas vezes.

Após quatorze anos afastada, ela retornou às competições de BMX em 2008, durante a estreia da modalidade nas Olimpíadas de Pequim, onde foi medalha de ouro e se consagrou como a primeira atleta do MTB a vencer em todas as modalidades de competição que disputou.

Títulos

  • 12 campeonatos mundiais de DH
  • 55 pódios em provas da UCI
  • Tetracampeã mundial de Dual Slalom
  • 8 vezes campeã francesa de DH
  • Tricampeã mundial de BMX
  • Campeã francesa de Dual Slalom
  • Tetracampeã da Copa do Mundo de DH
  • 8 vezes campeã europeia de DH
  • Bicampeã europeia de Dual Slalom
  • 2 vezes campeã da Copa do Mundo de Dual Slalom
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização