27 de maio de 2024

Eddy Merckx defende a expulsão permanente de ciclistas trapaceiros

“Quem quiser competir usando um motor, que mude de esporte e vá correr atrás do Valentino Rossi!”

Considerado por muitos como o maior ciclista de todos os tempos, o belga Eddy Merckx reagiu com indignação à notícia de que sua conterrânea, a ciclista belga Femke Van den Driessche, teria sido flagrada com um artefato motorizado no interior de sua bicicleta durante a última edição do campeonato mundial de ciclocross, neste fim de semana.

Para o ex-ciclista profissional, atletas e equipes flagrados com este tipo de fraude deveriam ser banidos permanentemente do Ciclismo. Durante entrevista coletiva realizada hoje por ocasião da pré-temporada do Tour de Qatar, Merckx criticou a atitude de Van den Driessche de maneira enfática.

“Se dependesse de mim, ela seria suspensa permanentemente. Se ela quiser competir usando um motor, que mude de esporte e vá correr atrás do [campeão mundial de motociclismo Valentino] Rossi!”, disse Merckx.

Van den Driessche será julgada pela Comissão Disciplinar da UCI e, caso seja considerada culpada das acusações, poderá receber uma suspensão de seis meses e uma multa que pode chegar ao valor de 200 mil francos suíços (cerca de 800 mil reais).

Combate à fraudes – Suspeitas de que o chamado doping motorizado ou doping mecânico seja utilizado por equipes de ciclismo tiveram início em 2010, quando o ciclista suíço Fabian Cancellara foi acusado de utilizar um motor escondido para vencer o Tour de Flanders e a Paris-Roubaix. Na ocasião, entretanto, nada foi descoberto.

Desde 2015, a União Ciclística Internacional (UCI), autoridade máxima na regulamentação do esporte, vem sistematicamente utilizando equipamentos de raio-x e micro câmeras na tentativa de descobrir este tipo de fraude, além de aumentar os testes anti-doping nos atletas.

“Um artefato deste tipo é capaz de proporcionar entre 50 a 100 watts a mais de potência ao ciclista, dependendo do tipo de motor”, comenta Merckx.

Lenda viva – Com um currículo de fazer inveja mesmo aos maiores ciclistas da atualidade, o belga Edouard Louis Joseph Merckx, conhecido mundialmente como Eddy Merckx, venceu virtualmente todas as grandes provas que participou, dos Grand Tours aos clássicos do Ciclismo, a ponto de ser considerado o maior nome do Ciclismo de todos os tempos.

Atualmente, com 70 anos de idade, Merckx utiliza bicicletas eletricamente assistidas para fins de lazer. “Eu também uso bicicletas elétricas, mas obviamente não para competir, mas por problemas de saúde” (Merckx foi diagnosticado em 2014 com um problema cardíaco). “Em minha carreira esportiva, eu nunca fiz uso de trapaças”, finaliza.

Perguntado se a sua bicicleta elétrica deixaria ele hoje tão ou mais rápido do que em seus dias de glória, o belga caiu na gargalhada e respondeu: “Ah não, eu era muito mais rápido antes!”

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização