12 de junho de 2024

Michael Rogers justifica doping com “comida contaminada”

Pego no dopping, ciclista australiano sugere que resultado pode ser consequência de ingestão de “comida contaminada” na China

RogersO ciclista australiano Michael Rogers, flagrado no exame antidoping após vencer a Japan Cup em outubro, negou a utilização de clenbuterol, substância proibida pela União Ciclística Internacional – UCI. Ao ser questionado sobre o fato, Rogers sugeriu a hipótese de que esta substância teria entrado em seu organismo através de comida contaminada ingerida durante o Tour de Beijing, prova realizada na China na qual o ciclista competiu antes de ir para o Japão.

“Gostaria de deixar bem claro que eu nunca ingeri deliberadamente clenbuterol”, disse Rogers em declaração à imprensa na manhã desta sexta-feira (20).

No passado, a UCI chegou a advertir os ciclistas para que tivessem cuidado ao competir na China, uma vez que existem suspeitas do uso naquele país de drogas ilícitas para a engorda de gado.

Às vésperas de completar 33 anos, Michael Rogers estava em sua primeira temporada na equipe Tinkoff-Saxo, após passagem por equipes como T-Mobile e Sky. Além da Japan Cup este ano, Rogers foi vice no Tour da California e 6º no Critérium du Dauphiné. Em seu currículo, consta o tricampeonato mundial de Contrarrelógio  (2003-2005).

Além de Michael rogers, o ciclista belga Jonathan Breyne (Crelan-Euphony) também foi flagrado com o resultado positivo para clenbuterol, em um ano marcado pelos diversos escândalos envolvendo dopping no ciclismo de estrada. Breyne foi flagrado em um exame realizado durante o Tour de Taihu Lake (China), competição a qual terminou na 8ª posição. Com apenas 22 anos, o belga era um dos novos contratados da Win-Josan Cycling Team para 2014.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização