25 de abril de 2024
Sram

Sram decreta o fim da gancheira do câmbio traseiro

Desenvolvido para ser montado diretamente no quadro, nova linha de transmissões Sram AXS facilita a instalação e o ajuste, além de deixar o câmbio mais protegido e preciso

Sete anos após apostar todas as suas fichas nas transmissões de coroa única e no fim do câmbio dianteiro — o que acabou tornando-se tendência mundial —, a Sram, um dos maiores fabricantes de componentes para bicicletas do mundo, decreta um novo conceito em sistema de transmissão, cujo câmbio traseiro passa a ser montado diretamente no quadro, sem o uso da gancheira.

Sram

Os novos câmbios eletrônicos traseiros das linhas X0, XX e XX SL AXS utilizam uma interface de montagem direta denominada T-Type, compatível com quadros que atualmente utilizam gancheiras no padrão UDH.

Sram

Proteção – Projetada para funcionar como interface de montagem entre o câmbio e o quadro da bike, a gancheira funciona como um fusível, empenando em caso de pancada, mas preservado a integridade dos componentes da bicicleta. Quando mal alinhada entretanto, a gancheira pode vir a ser uma fonte de problemas, prejudicando principalmente a precisão durante a troca de marchas.

Sram
Transmissão Sram Eagle AXS com gancheira UDH (esquerda) e no novo modelo, com montagem direta (a direita)

Tecnologias envolvidas – Embora pareça simples, a opção da Sram em eliminar o uso da gancheira precisou ser precedida por três inovações tecnológicas protagonizadas pela marca estadunidense ao longo dos últimos anos: o uso de transmissões de coroa única, onde eliminou-se o câmbio dianteiro; a adoção de um padrão de gancheira universal (UDH) que fosse adotado pelos principais fabricantes de bicicletas do mundo; e um sistema de desacoplamento do câmbio (Overload Clutch) que o protegesse contra pancadas.

Uma vez resolvidos os requisitos técnicos, o resultado foi a criação de uma nova linha de câmbios traseiros cuja montagem direta deixa o mesmo mais próximo dos pinhões do cassete, resultando em um conjunto mais protegido, estável e preciso, além de proporcionar uma plataforma robusta e estável que facilita a instalação e manutenção do componente em um nível jamais alcançado.

Sram
Screenshot das telas do aplicativo Sram AXS para ajuste do câmbio

Instalação e regulagem facilitadas – Com a eliminação da gancheira, foi possível criar um padrão de instalação com índice de tolerância zero entre o quadro, o freehub, o eixo da roda e o câmbio, o que eliminou a necessidade do uso dos parafusos limitadores e do ajuste manual da altura da polia guia do câmbio. Todo ajuste e regulagem passa a ser feito via aplicativo, que inclusive indica o tamanho da corrente de transmissão tendo como base o modelo do cassete, o tamanho da coroa e a distância entre o eixo da roda e o centro do pedivela.

Peças substituíveis – Mesmo mais robustos e menos sujeitos a acidentes por ficarem maia protegidos dentro do quadro, a linha de Sram possui componentes substituíveis e recuperáveis. Tanto o braço do câmbio quanto suas roldanas podem ser facilmente substituídos, mesmo por um mecânico amador.  Os câmbios possuem placas deslizantes substituíveis, projetadas para proteger a performance e a aparência do componente.

Sram

Novo cassete – As novas transmissões X0, XX e XX SL AXS contam com um novo modelo de cassete, que apresenta uma linha vermelha demarcando o pinhão central, sobre o qual são realizados os ajustes do câmbio traseiro. Assim como nos demais modelos da Sram, o cassete conta com a tecnologia X-Sync, que garante trocas de marchas precisas mesmo sob forte carga nos pedais.

Sram AXS Pod
Sram AXS Pod

Trocador de marchas Ambidestro – Totalmente ambidestros, os novos trocadores de marcha AXS Pod são totalmente configuráveis, possibilitando a ciclistas canhotos a possibilidade de realizar trocas de marchas com suas mãos dominantes. Para adeptos do guidão de gravel, suas MTB’s podem ser configuradas com o estilo de logica de trocas das manetes eTap, deixando as mesmas mais intuitivas.

Sram

Preço e disponibilidade – Até o fechamento desta edição, a Proparts, distribuidora da Sram no Brasil, não havia divulgado os preços dos novos grupos X0, XX e XX SL AXS.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização