19 de junho de 2024
Samuel Hu, gerente geral da Astro, testa um modelo de e-bike da marca feita com a nova tecnologia - Foto: Divulgação

Taiwanesa Astro aposta no termoplástico e na automação para baratear quadros de carbono

Com tecnologia de produção oriunda da indústria aeronáutica, fabricante taiwanês aposta na alta durabilidade, baixo custo e reciclabilidade

Uma das principais lideranças mundiais na produção de quadros para bicicletas, a Astro Engineering irá aproveitar sua participação na maior feira de bicicletas da Ásia, a Taipei Cycle 2023, para mostrar seus mais recentes avanços tecnológicos no intuito de fabricar modelos em fibra de carbono de alta durabilidade e baixo custo.

Astro

Desde o ano passado, o fabricante taiwanês tem utilizado um novo processo de fabricação de quadros para e-bikes que utiliza em sua composição termoplástico e tecnologia de produção oriunda da indústria aeronáutica, com auto grau de automação, que alia maior precisão na montagem e menor custo de produção, além de prometer uma grande vantagem em termos de sustentabilidade em relação aos quadros de fibra de carbono produzidos por meios convencionais.

Maior produtividade, menor custo – Seja como matéria-prima para a construção de quadros ou para outros componentes da bike, a fibra de carbono domina o segmento high-end do mercado devido à sua combinação de alta resistência e baixo peso.

Infelizmente, o método convencional de construção de componentes e estruturas de carbono é praticamente artesanal, onde centenas de pedaços de laminado de fibra de carbono são embebidos em resina termofixa e montados manualmente em uma forma, onde são mantidos unidos por pressão e pelo calor gerado por um forno especial. Além de demorado e trabalhoso, o processo resulta em um material de alta qualidade, mas que não permite nenhuma forma significativa de reciclagem.

Desde 2021, a Astro vem utilizando uma tecnologia criada por um dos maiores fabricantes de aviões do mundo, a Airbus, que utiliza uma espécie de sanduíche de finos painéis de composto termoplástico com fios de carbono mais longos, para dar maior resistência. Esses painéis são bastante resistentes e podem ser moldados facilmente através da aplicação de pressão no interior do molde.

Uma vez modeladas, as duas metades do quadro são unidas em um processo de termoformagem, resultando em um quadro leve e capaz de suportar cargas 20% maiores do que os padrões ISO.

Com o alto grau de automação do processo conseguido pela Astro, é possível construir um quadro a cada 15 minutos, tempo infinitamente inferior ao necessário para se produzir um quadro de fibra de carbono pelo processo convencional.

Astro
Sede da Astro, em Taiwan – Foto: Divulgação

Apostando todas as suas fichas no novo processo de fabricação, a Astro demoliu em novembro do ano passado, um prédio antigo de sua sede em Changhua para dar lugar a um novo pavilhão fabril de quatro andares. Com 1.650 metros quadrados por andar, o novo prédio contará com espaço para mais 70 estações de soldagem robótica, elevando o número total de estações na fábrica em Taiwan para 100 estações e aumentando ainda mais sua capacidade de produção anual, que atualmente é de 700.000 quadros.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização