17 de junho de 2024
Abraciclo
Foto: Divulgação / Abraciclo

Produção de bicicletas no Brasil cai 28,3% em relação ao mesmo período do ano passado

Ainda impactado pela readequação logística, Polo de Manaus produziu em novembro 53 mil bicicletas, 21 mil unidades a menos em relação ao mesmo período do ano passado

Levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo aponta que as fabricantes de bicicletas instaladas no PIM (Polo Industrial de Manaus) produziram 53.134 unidades em novembro. De acordo com a associação, o volume é 28,3% menor às 74.078 unidades registradas no mesmo mês do ano passado e 2,9% inferior ao total produzido em outubro (54.720 bicicletas).

De janeiro a novembro 584.464 bicicletas saíram das linhas de montagem do Polo de Manaus, o que corresponde a uma retração de 19,3% na comparação com o mesmo período do ano passado (723.950 unidades).

Abraciclo
Foto: Divulgação / Abraciclo

O vice-presidente do segmento de bicicletas, Cyro Gazola, afirma que as fabricantes mantêm os ajustes programados em suas linhas de produção para se adequar à nova demanda do mercado, que pede por modelos de médio e alto valor agregado. “Essas mudanças, que exigiram ajustes em toda a cadeia logística, não refletiram nos negócios do varejo”, explica. “Os centros de distribuição e a lojas estão abastecidos para atender à demanda neste final de ano que costuma ser alta”, reforça.

Gazola enfatiza que a bicicleta é cada vez mais procurada pelas pessoas que querem utilizar um meio de transporte mais sustentável e econômico, fugindo do trânsito nas cidades. “Os ganhos não ficam restritos a uma melhor mobilidade urbana. Há, ainda, a inclusão social e os benefícios para a saúde, como a melhora do condicionamento físico e a redução dos níveis de estresse”, completa.

O executivo acredita que o segmento de bicicletas passará por um cenário mais favorável em 2023. “Teremos um novo governo e, embora existam incertezas quanto ao direcionamento da economia, apostamos num cenário positivo em relação à retomada do poder aquisitivo da população”, diz.

Produção de bicicletas no PIM

Janeiro a novembro/2021 Janeiro a novembro/2022 %
Unidades 723.950 584.464 -19,3%

Fonte: Associadas Abraciclo

Produção por categoria – Com 1.444 unidades produzidas, a categoria Estrada foi a que apresentou maior crescimento porcentual. O volume foi 34,8% maior na comparação com o mesmo mês de 2021 (1.071 unidades).

Em números absolutos, a categoria mais produzida foi a Mountain Bike (MTB), com 34.293 unidades e 64,5% do total fabricado. Em segundo lugar, ficou a Urbana/Lazer (13.242 bicicletas e 24,9% da produção), seguida pela Infantojuvenil (3.510 unidades e 6,6%). Veja como ficou o ranking mensal de produção:

Produção de bicicletas no PIM

Novembro/21 Outubro/22 Novembro/22 Comparativo
Categoria A % B % C % C/A C/B
MTB 51.476 69,5% 31.893 58,3% 34.293 64,5% -33,4% 7,5%
Urbana/Lazer 15.542 21,0% 13.945 25,5% 13.242 24,9% -14,8% -5,0%
Elétrica 672 0,9% 887 1,6% 645 1,2% -4,0% -27,3%
Estrada 1.071 1,4% 682 1,2% 1.444 2,7% 34,8% 111,7%
Infanto-juvenil 5.317 7,2% 7.313 13,4% 3.510 6,6% -34,0% -52,0%
TOTAL 74.078 100,0% 54.720 100,0% 53.134 100,0% -28,3% -2,9%

Fonte: Associadas Abraciclo

As três primeiras posições foram mantidas no ranking no acumulado do ano: MTB (368.392 unidades e 63% do volume produzido), Urbana/Lazer (150.127 bicicletas e 25,7%) e Infantojuvenil (46.674 unidades e 8%).

Distribuição por região – A região que mais recebeu bicicletas produzidas no PIM foi a Sudeste. No total, foram 32.451 unidades, o que corresponde a 61,1% do volume fabricado em novembro. Na sequência, ficaram o Sul (7.920 bicicletas e 14,9% da produção), o Nordeste (5.805 unidades e 10,9%), o Norte (4.110 bicicletas e 7,7%) e o Centro-Oeste (2.848 unidades e 5,4%).

No acumulado do ano, as três primeiras posições foram mantidas: Sudeste (354.769 bicicletas e 60,7% do total produzido), Sul (103.585 unidades e 17,7%) e Nordeste (57.322 bicicletas e 9,8%). O Centro-Oeste ficou em quarto lugar (38.203 unidades e 6,5% da produção), seguido pelo Norte (30.575 bicicletas e 5,2%).

Exportações – Os embarques para o mercado externo avançaram 21,9%. Em novembro foram exportadas 6.067 bicicletas, ante as 4.976 unidades registradas no mesmo mês do ano passado. Na comparação com outubro, a alta foi de 56,1% (3.887 bicicletas).

Segundo levantamento do portal Comex Stat, que apura os embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, os países do Mercosul foram os principais destinos. Em primeiro lugar, ficou o Paraguai (5.245 bicicletas e 86,5% das exportações). Na sequência, vieram a Bolívia (508 unidades e 8,4% do total exportado) e o Uruguai (310 bicicletas e 5,1%).

De janeiro a novembro, as exportações totalizaram 27.206 unidades, alta de 16% na comparação com o mesmo período do ano passado (23.445 bicicletas).

O Paraguai também lidera o ranking do acumulado do ano. De acordo com levantamento do Comex Stat, analisados pela associação, o país vizinho recebeu 18.204 bicicletas, o que representa 66,9% das exportações. Em segundo lugar, ficou o Uruguai (4.320 unidades e 15,9% do volume exportado) e em terceiro, a Bolívia (2.006 bicicletas e 7,4%).

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização