16 de julho de 2024
Luiz Cocuzzi
Luiz Cocuzzi comemora vitória - Foto: Ultrafotos

Luiz Cocuzzi e Raiza Goulão vencem o Short Track da etapa de Congonhas da CIMTB

Com o resultado, o título da temporada ficou com José Gabriel Marques e Isabella Lacerda

Os primeiros campeões da temporada de 2022 da Copa Internacional de Mountain Bike (CIMTB) foram conhecidos na manhã deste sábado (23), no Parque Ecológico da Cachoeira, em Congonhas (MG). Nas duas principais disputas do dia, a das Super Elites Masculina e Feminina no Short Track (XCC), José Gabriel Marques e Isabella Lacerda garantiram de forma definitiva a camiseta azul clara de campeões do ano na modalidade de pista reduzida. Mais cedo, Rubinho Valeriano, Stefanye Lindolfo e Juarez Machado confirmaram os títulos no e-Bike em suas respectivas categorias no Cross Country Olímpico (XCO).

CIMTB
Pódio geral da Super Elite Masculina no XCC – Foto: Ultrafotos

Embora tenha chegado à etapa com 13 pontos de vantagem na disputa decisiva do Short Track, José Gabriel Marques foi um dos principais protagonistas na prova, junto de Guilherme Muller, que assumiu a liderança em boa parte da corrida. Porém, a poucas voltas do fim, Luiz Cocuzzi fez um ataque preciso para ganhar a prova em 20min48seg781, terminando apenas um segundo na frente de José Gabriel. Com o resultado, Cocuzzi foi o vice-campeão da temporada no XCC. Terceiro colocado na bateria foi Guilherme Muller, que também subiu no pódio do acumulado no ano em terceiro. Fabio Castañeda, da Colômbia, e Ulan Galinski completaram o top 5 da etapa. Ulan e Nicolas Machado finalizaram no pódio da temporada, em quarto e quinto lugares, respectivamente.

“Corri de uma maneira bem tática, até porque estamos vindo de um bloco grande de provas e ainda tem outras pela frente. A ideia era defender o campeonato no XCC e brigar pela vitória. Estudei bastante, troquei de posições, sempre em boa colocação. No Final, apenas me defendi para não ser ultrapassado pelo Guilherme, já que ele é o meu principal concorrente pelo título geral de 2022 (somando XCO e XCC). O Cocuzzi atacou no fim de maneira bem forte, algo que me ajudou porque ele levou a volta final em um ritmo acima do que o Guilherme conseguiria e assim garanti mais esse título na carreira”, comemorou José Gabriel.

Embora tenha terminado com o vice-campeonato da modalidade XCC, Luiz Cocuzzi ficou bastante satisfeito com a vitória na etapa, mostrando que tem boas chances de brigar pela vitória no XCO deste domingo (25), marcado para às 14h no Parque da Cachoeira.

“Escolhi o momento certo para acelerar e deu certo. Estou muito feliz pela vitória”, disse Luiz Cocuzzi. “A pista tinha poucos pontos de ultrapassagem e era bem rápida. Minha estratégia foi de não ficar muito atrás de quem estava andando na frente, para atacar e conseguir vencer. Assumi a liderança apenas uma volta e meia do fim, para manter a liderança até o final”, completou o vencedor do dia.

Raiza Goulão
Raiza vibra com vitória – Foto: Ultrafotos

Super Elite Feminina – Entre as mulheres, Isabella Lacerda pedalou com o regulamento “no bolso” para garantir o título da temporada no Short Track. Ciente de que um segundo lugar garantiria o título, independente de quem fosse a vencedora, a ciclista esteve sempre no pelotão da frente e atacou na volta final, para terminar exatamente em segundo lugar. Apenas um ponto separou Isabella, com 106 somados, da vencedora da etapa e vice-campeã do XCC, Raiza Goulão, com 105. Karen Olimpio, Hercília Najara e Aline Simões completaram o top 5 do dia. No geral, após quatro etapas, Hercília ficou em terceiro, seguida de Karen e Sabrina Oliveira.

“Estou muito feliz. Estava até ansiosa, porque a disputa eu tinha certeza que seria apertada. Ou eu ganhava o título, ou ficava atrás da Raiza. Quando abriu a última volta, a Raiza estava bem posicionada e conseguiu atacar e eu fiquei em terceiro lugar. Porém, não deixei de acreditar e ataquei a Karen na metade final da volta. Cheguei próxima da Raiza, mas no trecho final é difícil ultrapassar. Mérito dela pela vitória, porque estava bem forte. Consegui meu objetivo principal, de garantir a camiseta. Título inédito no XCC, legal para mim, que já ganhei quatro vezes o título geral”, comemorou Isabella.

CIMTB
Pódio geral da Super Elite Feminina no XCC – Foto: Ultrafotos

Raiza Goulão, que segue na liderança geral, comentou como foi a estratégia de prova. “Por ser uma prova UCI, o foco é sempre entrar visando a vitória. Essa pista nos leva a ser estratégicos, porque não há muitos pontos de ultrapassagem. Pista que exige antecipar os movimentos e analisar as concorrentes”, comentou Raiza. Neste domingo, acredito que teremos um pelotão compacto e tenho que correr com a cabeça, elaborando bem a estratégia. Não entro na prova pensando em não ganhar. Imprevistos podem acontecer, por isso tenho que pedalar focando na colocação que me garantiria o título, mas sem esquecer de que a vitória me daria pontos importantes no ranking UCI”, disse Raiza.

Disputa geral da temporada – Com os resultados do XCC, José Gabriel e Raiza aumentaram a folga na liderança geral da temporada, que soma os resultados do Short Track e do Cross-Country Olímpico, em relação aos seus principais concorrentes. José Gabriel tem agora 190 pontos, contra 160 de Guilherme. Terceiro lugar geral é de Ulan, que tem 144, ou seja, 46 pontos atrás do líder. Entre as mulheres, Raiza tem agora 219 pontos contra 202 de Isabella. Hercília corre por fora na briga, com 171 pontos, ou seja, 48 atrás da líder.

e-Bike – Na manhã deste sábado, os campeões do e-Bike foram conhecidos pelo público. Todos os líderes garantiram a vitória em Congonhas, ou seja, não deram chances para seus rivais os incomodarem. Rubinho Valeriano venceu na Pro, Stefanye Lindolfo, no Feminino, e Juarez Machado foi o campeão da Master.

“Escolhi fazer uma prova mais tática, porque neste domingo corro o XCO na Super Elite. E, como era um circuito de Cross-Country, eu procurei nas três primeiras voltas fazer uma parte de reconhecimento mesmo com a bicicleta elétrica, porque eu não treinei a parte do Rock Garden. Circuito muito bom, muito divertido. A bike elétrica é para este tipo de circuito. Na pista de XCO é muita pilotagem, e o arranque da bike é muito forte”, contou Rubinho.

“É muito legal manter a camisa de líder e ganhar o campeonato. Mas, parece que eu perdi o costume. Até esqueci a camiseta de líder. Arrumei minha mala, cheguei aqui ontem e vi que tinha esquecido a camiseta de líder. É muito legal ter esse incentivo de novo pra mim e sair campeão da CIMTB, correr com a camiseta amarela e agora ter a azul claro (campeão do ano) é muito especial pra mim”, completou Rubinho, que já foi campeão seis vezes da Super Elite na CIMTB.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização