17 de junho de 2024
Ana Panini
Ana Panini - Foto: Cristiano Vieira

Riders MTB Festival agita Santa Catarina em agosto

Sexta edição stage race de três etapas em Balneário Camboriú é inspirada nas melhores ultramaratonas do mundo

A sexta edição do Riders MTB Festival é uma oportunidade única de disputar de uma prova por etapas de três dias no Brasil.

A prova é inspirada nas maiores ultramaratonas de mountain bike do mundo, como Swiss Epic, Transalp, Cape Epic e a Brasil Ride e é o único evento de MTB com a chancela da Cannondale no Brasil em 2022, além de pontuar no ranking XCM e XC3S da Confederação Brasileira de Ciclismo.

“A Riders MTB Festival é perfeita para duplas que vão correr a Brasil Ride na Bahia. Correr junto é a melhor forma de uma dupla ganhar entrosamento. Alguns atletas de Elite largam em dupla pensando em fazer testes com parceiros para o Brasil Ride ou Cape Epic”, explica Juliano Salvadori, idealizador do evento.

No total são 124km com 4.200 metros de altimetria acumulada, divididos em um prólogo e duas etapas com muitas trilhas, reservas naturais e belas paisagens. As inscrições estão abertas.

Campeã fala sobre a prova – Uma presença garantida no Riders MTB Festival é da campeã da edição 2021 Ana Luisa Panini, catarinense de Indaial com muita experiência em stage races.

“O percurso é bem montado e legal, mas é bem duro, não foi fácil. Foram três dias de mountain bike muito bacanas. Pena que eu corri sozinha em minha categoria”, contou Ana Luisa que além de atleta é treinadora especializada em ciclismo e mountain bike e responsável da Panini Assessoria e Treinamento.

Ana disputou três vezes a Brasil Ride, na Bahia, e foi campeã das Américas em 2017 correndo em dupla com a chilena Pilar Covalan. No ano seguinte correu ao lado da mineira Karen Olímpio e a dupla concluiu na terceira colocação das Américas e em sexto na geral feminina. Em 2019, correu em dupla mista ao lado de Marcelo Moser e a dupla terminou na terceira colocação.

Ana é vice-campeã da do Warm Up Brasil Ride, em Botucatu (SP). “Eu liderei as etapas, mas infelizmente furei um pneu no finzinho da corrida e perdi o título”, lembra. Em abril, concluiu a Brasil Ride Espinhaço na terceira colocação correndo em dupla com a mineira Iara Caetano.

“A estrutura do Riders MTB Festival não deixa nada a desejar para outras ultramaratonas e provas que já fiz. O lugar em Camboriú é ideal para receber o evento e a estrutura na chegada estava perfeita. Foi tudo muito certinho, com pontualidade nos horários”, destacou.

Márcio May
Márcio May – Foto: Rodrigo Philipps

Márcio May confirma presença – Outro atleta com larga experiência a participar da prova é o ciclista de estrada catarinense Márcio May, que já disputou 5 edições da Brasil Ride, na Bahia. May foi campeão solo no Warm Up da Brasil Ride, em Botucatu (SP), com três etapas. Na Bahia, foi vice-campeão da categoria Master ao lado do paulista Márcio Ravelli.

May, que completou 50 anos no mês de maio com uma pedalada solo de 2 mil km no “Desafio Márcio May 50 Anos”, no ano passado disputou apenas o Race Day, no domingo.

“O Juliano Salvadori tem larga experiência na organização de provas. É tudo muito organizado. Tem muito abastecimento e a marcação do percurso é muito bem feita. Acho legal o serviço de apoio da Shimano, pois em provas de longa duração sempre tem algo para resolver. Gostei também do lava-bike, afinal, nada como levar a bicicleta limpa para casa”, disse May nesta edição vai correr solo as três etapas da Stage Race.

Solo ou Dupla? – Como nas melhores ultramaratonas do mundo, a Riders MTB Festival pode ser disputada de maneira individual (solo) ou em duplas. São sete categorias para os competidores que vão correr em dupla.

A idade dos integrantes é livre para as categorias Open, Feminina e Mista. Para as duplas Master a idade mínima é de 35 anos e para a Gran Master é de no mínimo 50 anos. Para as duplas da categoria e-MTB a idade e o gênero são livres.

“Correr em dupla é muito bom se você tem o parceiro certo, alguém que você se dá bem e conhece o ritmo. No caso das duplas mistas, o homem precisa ter a paciência de esperar a mulher e evitar colocar muita pressão. É importante ter muita afinidade e respeitar o ritmo do parceiro. Já correr sozinho é mais competitivo e você não depende de outra pessoa”, destaca Ana Luisa Panini.

Só no domingo – Com a Cannondale Race Day é possível correr somente a etapa do domingo (dia 28 de agosto), no mesmo percurso da segunda etapa da ultramaratona. A largada será meia-hora depois da segunda da Stage Race e os inscritos terão acesso pleno à estrutura completa da Riders MTB Festival.

Vale lembrar que a Race Day é ideal para quem não tem os três dias disponíveis para correr a Stage Race completa. “Eu corri a Race Day no ano passado. Foi uma época que eu estava sem tempo de treinar muito e foi perfeito para mim”, lembra Márcio May.

Percurso – O percurso da Riders MTB Festival foi inspirado nas ultramaratonas, com distâncias não tão longas, mas com bastante altimetria. O evento começa na tarde de sexta-feira (26 de agosto) com um prólogo de 4km (300 metros de altimetria), às 16 horas.

No sábado, a primeira etapa terá uma distância de 60km, com 2 mil metros de altimetria acumulada. No domingo, segunda e última etapa terá 60km com 1.500 metros de altimetria acumulada. O percurso para os competidores do Cannondale Race Day será o mesmo dos ciclistas da segunda etapa da stage race.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização