17 de junho de 2024
Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

Expedição percorre de bicicleta 651 quilômetros no Paraná

Terceira edição da Expedição Rota do Rosário irá percorrer 17 municípios, em um dos roteiros do turismo religioso mais estruturados do estado

Ao longo dos próximos sete dias, um grupo de ciclistas irá percorrer de bicicleta os 651 quilômetros da Rota do Rosário, roteiro religioso que abrange parte dos Campos Gerais e do Norte Pioneiro, no Paraná. Partindo do Santuário Nossa Senhora das Brotas, em Piraí do Sul, os ciclistas seguem por estradas rurais passando por 16 santuários, além de igrejas, capelas e outros atrativos em 17 cidades.

Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

Esta é a terceira Expedição Rota do Rosário, que é organizada pela empresa Forma Ativa Sports, com apoio da coordenação da rota, da Associação Turística do Norte do Paraná (Atunorpi) e do Governo do Estado. Pelo menos 25 ciclistas se inscreveram para fazer o percurso completo ou alguns trechos, mas a previsão da organização é que cerca de 40 pessoas acompanhem a largada.

Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

A concentração dos peregrinos teve início nesta sexta-feira (7), em Piraí do Sul, com a saída prevista para a manhã sábado (8). De lá, eles devem pedalar uma média de 100 quilômetros por dia, com elevação diária no relevo de 1,5 mil a 2 mil metros. No percurso, os ciclistas passarão pelos municípios de Jaguariaíva, Arapoti, Pinhalão, Ibaiti, Ribeirão do Pinhal, Abatiá, Bandeirantes, Andirá, Barra do Jacaré, Santo Antônio da Platina, Jacarezinho, Ribeirão Claro, Joaquim Távora, Quatiguá, Siqueira Campos e Arapoti.

Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

“O trajeto é para um grupo com bom condicionamento, que está acostumado a uma pegada longa como esta. Tem muita subida e descida, diferentes tipos de terreno, como areia e cascalho, então é preciso preparação”, explica Emerson Souza, coordenador-geral da expedição. “Além de conhecer um percurso de fé e com belas paisagens, a ideia é tornar a Rota do Rosário mais conhecida. Se repetir os anos anteriores, a experiência será muito boa. A primeira expedição de bike teve seis pessoas, ela já está crescendo e muita gente retornou para fazer de novo este ano”.

Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

A chegada acontece na semana seguinte, na sexta-feira (14), na Igrejinha São João Batista, em Arapoti. Neste intervalo, os ciclistas terão passado por santuários com grande relevância no calendário religioso do Paraná, como o de São Miguel Arcanjo, em Bandeirantes, e de Bom Jesus da Cana Verde, em Siqueira Campos, além de rios, cachoeiras e outras paisagens pelas estradas.

Todos os ciclistas percorrem a rota uniformizados, e a expedição também conta com carros de apoio, estrutura de lanches e um veículo 4×4 para carregamentos das bagagens, além de lugares já pré-selecionados para hospedagem.

Expedição Rota do Rosário
Foto: Divulgação / AEN-PR

“A expedição inicia o calendário turístico do Norte Pioneiro e movimenta a economia local, principalmente em período com menor frequência de turistas”, ressalta João Gouveia Cézar, do Coletivo Pratique Turismo Regional. “É também a oportunidade para checar o roteiro da Rota do Rosário e conhecer as novas atividades que ficam no entorno. Essa expedição é também uma ótima divulgação, porque reverbera ao longo do ano e gera frutos para a região”.

A Rota do Rosário

Criada em 2008, a Rota do Rosário é um dos roteiros do Turismo Religioso mais estruturados do Paraná. Seu trajeto forma exatamente um rosário, e inclui não apenas as igrejas católicas, mas que também divulga patrimônios culturais, históricos e arquitetônicos das regiões.

Além dos já citados, também integram o roteiro os santuários de Santa Terezinha do Menino Jesus (Bandeirantes); Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, Catedral de Nossa Senhora Imaculada Conceição e Nossa Senhora de Guadalupe (Jacarezinho); Santo Inocêncio (Tomazina); Diocesano do Sagrado Coração de Jesus (Ibaiti); Senhor Bom Jesus da Pedra Fria (Jaguariaíva); São Vicente Palloti (Ribeirão Claro); Divino Espírito Santo (Ribeirão do Pinhal); e Nossa Senhora das Graças (Santo Antônio da Platina).

Junto ao roteiro religioso, os romeiros aproveitam para conhecer outros atrativos da região, aliando a fé a experiências gastronômicas a belezas naturais e arquitetônicas.

Os locais envolvidos contam com roteiros de turismo rural, como a Rota do Café, patrimônios históricos e culturais, turismo náutico e de natureza. Parte dos municípios faz parte da região de Angra Doce, que foi instituída, no ano passado, como a primeira Área Especial de Interesse Turístico Federal.

Fonte: AEN-PR

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização