28 de fevereiro de 2024
Bicicleta
Foto: Fábio Junkes / OCP News

Papel da bicicleta como meio de transporte durante a pandemia é tema de discussão

Grupo da Estratégia Nacional da Bicicleta, formado pela Confederação Nacional de Municípios e diferentes organizações  tem como objetivo criar diretrizes para a regulamentação do Programa Bicicleta Brasil

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) participou de mais uma reunião do Grupo Gestor da Estratégia Nacional da Bicicleta, formado pela entidade municipalista e por diferentes organizações. O Grupo de Trabalho, liderado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e pela União dos Ciclistas do Brasil (UCB), tem como objetivo criar diretrizes para a regulamentação do Programa Bicicleta Brasil (PBB).

Nessa última videoconferência, os participantes apresentaram recomendações para o deslocamento com bicicleta durante e no período pós-pandemia. Representando a CNM, a analista técnica de Trânsito e Mobilidade, Luma Costa, debateu, com o grupo, ações prioritárias de apoio aos Municípios. Dentre elas estão:

  • Planejar e executar obras de mobilidade, com apoio e transferências do governo federal, incluindo infraestrutura de deslocamento e estacionamento para bicicletas como ciclovias, ciclofaixas e vias compartilhadas. Para isso, deve-se considerar a ampliação de infraestrutura já existente;
  • Desenvolver programas educativos e de sensibilização para utilização livre nos âmbitos estaduais e municipais, divulgando os benefícios individuais e sociais sobre o uso da bicicleta, criando uma cultura de convivência e respeito entre todos os atores do trânsito;
  • Pacificar o trânsito, adotando medidas, transferindo recursos aos Municípios e implantando infraestrutura para reduzir as velocidades máximas nas cidades, melhorando a segurança de pedestres e ciclistas;
  • Estabelecer políticas públicas e pactos federativos que regulamentem, financiem, promovam, estimulem e monitorem a logística sustentável;
  • Criar uma política transversal, entre os ministérios, para o investimento em ações prioritárias do uso da bicicleta em diversos setores, regulando a participação de organizações, priorizando os recursos e transferindo-os fundo a fundo aos Municípios.

Luma alertou que as recomendações devem ser seguidas conforme a realidade local, sempre em conformidade com as orientações da área de saúde. É necessário ainda planejamento estratégico para o incentivo e a realização das iniciativas, garantindo condições para o uso com segurança e conforto pelos atuais e por novos usuários.

O deslocamento com bicicletas pode incentivar a redução da velocidade nas vias e diminuir a quantidade de acidentes, já que mortes no trânsito sobrecarregam o sistema de saúde durante pandemia. Entretanto, com as vias mais livres, os dados apresentados até agora, em algumas regiões, mostram que houve um aumento de comportamentos de risco, incluindo excesso de velocidade e desrespeito ao sinal vermelho.

Alguns países, dependendo do nível de restrição, estão incentivando o uso, com a criação e o aumento de ciclofaixas temporárias, já que é possível manter a distância e garantir o deslocamento de trabalhadores de serviços essenciais. Em outros, com elevado número de casos de Covid-19, o método de combate à pandemia se baseou em isolamento mais rígido. E até mesmo o uso da bicicleta foi restringido, principalmente para lazer e esporte. De qualquer forma, a bicicleta continua sendo considerada uma forma adequada de transporte, em curtas distâncias, para trabalhar e comprar alimentos ou medicamentos essenciais.

ConquistaFonte: Agência CNM de Notícias

Foto: Fábio Junkes/OCP News

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização