1 de março de 2024
Raiza Goulão
Foto: Maximiliano Blanco

Raiza Goulão comenta sua participação no Pan-Americano de MTB

Atleta brasileira integrante da equipe Corinthians Audax Bike Team narra as dificuldades que enfrentou em prova realizada entre os dias 2 e 6 de abril, em Aguascalientes, México

Competir no Campeonato Pan-Americano é sempre uma grande honra. Fui convocada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) para integrar a Seleção Brasileira de Mountain Bike mais uma vez, representando o Brasil na edição de 2019 do evento.

Raiza Goulão
Foto: Maximiliano Blanco

Nesta temporada, tive alguns contratempos e minha preparação para o Pan foi um pouco diferente do que imaginava e planejava, porque tive uma lesão e não pude me dedicar 100%, sem poder fazer trilha nas semanas anteriores ao evento, para me adaptar ao terreno que eu iria enfrentar no México. Querendo ou não isso afeta diretamente.

Não posso dizer que fiquei contente com o meu resultado, um 15º lugar, porque fui campeã pan-americana de 2018. Gostaria de ter chegado a Aguascalientes em melhores condições, para lutar pelos primeiros lugares. Infelizmente, essa não foi a realidade e, como atleta, tenho que assumir isso e não deixar minha cabeça me sabotar. Minha forma física foi longe de ser ideal, porque o pouco tempo que você fica sem pedalar, você não consegue se habituar a tempo.

Raiza Goulão
Foto: Maximiliano Blanco

Fiquei triste ao término do Campeonato Pan-Americano, mas avaliando com a cabeça fria, cheguei à conclusão de que foi o melhor que eu poderia apresentar naquele momento. Foi uma prova em que senti demais a falta do ritmo de competição. Queria ter defendido meu título com uma disputa mais rigorosa contra as adversárias. Porém, não foi possível. Mais uma vez, tive aprendizados, de entender e respeitar o corpo. Está sendo um período difícil com lesões recentes, mas qual atleta não passou ou não passará por isso. Todos nós estamos sujeitos a problemas.

Voltei para o Brasil motivada e pronta para os novos desafios que virão pela frente. Uma mudança foi a troca do meu treinador, optando por alguém que está mais próximo de mim, aqui no nosso país, o Hélio de Souza. Não pelo preparo físico em si, mas pela proximidade. A ideia e de me sentir mais abraçada e ter alguém do meu lado, para ajudar nas estratégias e tudo mais.

Sigo motivada para me recuperar o quanto antes e estar de volta às pistas, com o desempenho bom. Sem lesões, sem problemas mecânicos ou outras situações adversas do tipo.

Agradeço a CBC pela convocação e minha equipe, Corinthians Audax Bike Team, que mais uma vez enviou um mecânico para nos apoiar e foi realmente bom compartilhar esses momentos com os demais atletas da Seleção Brasileira e também do meu time.

Queria parabenizar o Gustavo Xavier, que fez ótima prova, conquistando a medalha de bronze em seu último ano de categoria júnior. Muito contente por ele, um atleta que tem muito futuro.

Raiza Goulão
Foto: Maximiliano Blanco

Meu próximo desafio agora será a segunda etapa da Copa Internacional de Mountain Bike, entre os dias 25 e 28 de abril, em Araxá (MG). Uma das três Stage Hors Class (SHC) do mundo. Quatro dias de corrida, nesta que é a etapa mais charmosa do mountain bike nacional.

Sobre a autora

Destaque no cenário do Mountain Bike brasileiro e internacional, Raiza Goulão iniciou sua carreira em 2010 em sua cidade natal, Pirenópolis (GO). Desde então, a ciclista vem acumulando em seu currículo títulos como o 1º lugar no Pan-americano de MTB em 2012 e 2013, 1º lugar no Latino-americano de MTB em 2013 e o 6º lugar na World Cup do Canadá em 2013, entre outros.
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização