4 de março de 2024
Marcela Lima foi campeã da Copa do Mundo de XCE em Congonhas - Foto: Marcelo Rypnl

Marcela Lima e Jeroen van Eck são campeões da Copa do Mundo UCI de Eliminator

Brasileira e holandês escrevem foram os primeiros atletas a vencer em uma Copa do Mundo UCI de MTB Eliminator realizada na América Latina

A atleta brasileira Júnior Marcela Lima (Team Groove XCO) e Jeroen van Eck (Vaneck Racing) fizeram história em Congonhas. Os dois foram os primeiros atletas a serem campeões em uma Copa do Mundo UCI de MTB Eliminator na América Latina. Jeroen van Eck levou a melhor, seguido do brasileiro Luiz Henrique Cocuzzi (Equipe Lar -Scott-Mauro Ribeiro-Vzan) e do campeão alemão de XCE, Simon Gegenheimer (ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS). O frances Lorenzo Serres (Team PIVOT) ficou na quarta colocação.

No Feminino, as brasileiras brigaram pelo lugar mais alto do pódio. A chuva deu uma trégua em Congonhas, porém, assim que começaram as finais, ela voltou a cair e a tornar a prova ainda mais técnica. Marcela manteve forte e brigou pela posição com Karen Olímpio que terminou em segundo. Tânia Clair e Paula Gallan terminaram em terceiro e quarto, respectivamente.

“Foi uma corrida maravilhosa do início ao fim. Estou muito feliz com a vitória. É maravilhoso ter um desafio mundial de XCE em casa. Assim que descobri a prova, decidi deixar de lado a Maratona e a Copa do Mundo de XCE passou a ser meu principal objetivo. Ter uma Copa do Mundo no Brasil é realmente motivador, porque nos proporciona uma troca de experiências e consequentemente uma evolução para os atletas brasileiros”, comentou.

Cocuzzi liderou grande parte da prova, mas foi ultrapassado por holandês – Foto: Marcelo Rypnl

Luiz Henrique Cocuzzi liderou a maior parte da prova e levou a torcida à loucura. Porém o holandês viu a chance de ultrapassagem na segunda volta, em uma curva. “A prova é muito dura, faz o atleta forçar tudo o que tem, mas eu gosto desse estilo de prova. Fiquei muito feliz com o resultado e com todo apoio da torcida”, disse.

Sendo a última etapa da Copa do Mundo UCI de Eliminator, a norueguesa Ingrid Boe Jacobsen e o holandês Jeroen van Eck foram os campeões da temporada. O holandês venceu com 263 pontos enquanto Boe Jacobsen segurou o  título com 265 pontos.

“Terminar a temporada com a vitória no Brasil foi perfeito, especialmente vestindo a camisa de líder. O trajeto é muito louco, eu realmente amei. Estou muito feliz com a final em Congonhas, o público é demais. Eu não poderia estar aqui sem ajuda da minha família, meu treinador, meu coach e minha namorada. Eu acredito que agora mereço boas férias aqui no Brasil”, disse o holandês.

UCI MTB Eliminator World Cup Congonhas (BRA)

Masculino

1. Jeroen van Eck (NED)
2. Luiz Henrique Cocuzzi (BRA)
3. Simon Gegenheimer (GER)
4. Lorenzo Serres (FRA)

Feminino

1. Marcela Lima (BRA)
2. Karen Fernandes Olimpio (BRA)
3. Tânia Clair Pickler Negherbon (BRA)
4. Paula Gallan (BRA)

Masculino Geral

1. Jeroen van Eck (NED) – 263 pontos
2. Simon Gegenheimer (GER) – 169 pontos
3. Lorenzo Serres (FRA) – 160 pontos

Feminino Geral

1. Ingrid Bøe Jacobsen (NOR) – 265 pontos
2. Ella Holmegard (SWE) – 150 pontos
3. Iryna Popova (UKR) – 138 pontos

Confira o resultado completo

Short Track – Logo após as baterias finais da Copa do Mundo de Eliminator, largou o Short Track. Os atletas pedalaram 20 minutos mais uma volta na mesma pista de XCE. Rubens Donizete Valeriano (Sense Factory Racing) e o companheiro de equipe Guilherme Muller conquistaram o primeiro e o segundo lugares respectivamente. No feminino, Letícia Cândido (Audax FSA) foi a campeã, seguida de Hercília Ferreira (Ciclovia Team/Seja Bike).

Rubinho foi campeão do Short Track – Foto: Marcelo Rynl

“É uma prova que não dá tempo para pensar. É dar tudo o que tem o tempo todo, do início ao fim. Por pouco não fui para a final do XCE, mas conquistei a primeira colocação no XCC. É muito bom fechar a temporada dessa forma, com uma vitória em uma Copa do Mundo”, disse Rubens Donizete.

Para Hercília, a prova foi emocionante do início ao fim. “Eu larguei para dar o máximo de mim. A chuva foi um tempero a mais, mas consegui garantir a segunda colocação. Não larguei tão bem, fui ganhando força ao longo de cada volta. Vinte minutos naquela pista é desgastante, mas sair com a segunda colocação foi muito bom”, ressaltou.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização