22 de fevereiro de 2024
Maximino Contreras e sua bicicleta - Foto: Divulgação / PopoBike

Agricultor de 57 anos sobe ao pódio em prova de altimetria com bike de supermercado

Maximino Contreras conquistou a 2ª colocação na Sky Challenge Bike International, ao subir ao cume do vulcão Sierra Negra, a 4.600 metros de altura, com uma bicicleta de aço carbono e praticamente sem equipamento

No ciclismo, quase sempre a regra prevalece: de pouco ou quase nada adianta ter o melhor e mais caro equipamento se lhe faltam pernas e pulmões. Atletas que participaram do Sky Challenge Bike International, prova de MTB que teve lugar no alto do vulcão Sierra Negra – a quinta montanha mais alta do México -, sentiram esta máxima na pele, ao serem superados por um senhor franzino, de 57 anos de idade, que sagrou-se vice campeão de sua categoria, ao percorrer a distância de 30km e 4.600 metros de altura em pouco mais de três horas e meia.

O mais surpreendente é que Maximino Contreras – agricultor da pequena cidade de Ciudad Serdán, região central do México -, utilizou uma bicicleta simples, com quadro de aço carbono similar às vendidas comumente em supermercados.

“Sempre gostei muito de ciclismo: desde 1979 participo de provas na minha região”, disse Contreras.

Maximino Contreras conquistou a segunda colocação em sua categoria – Foto: Divulgação / PopoBike

O atleta disse que a bike que utilizou para a prova foi comprada usada, especialmente para participar da prova, e com componentes instalados e regulados por ele mesmo, já que um de seus  hobbies é consertar bicicletas. “O que me faz mais falta são as ferramentas específicas, que são muito caras”, disse Contreras.

Sua bicicleta obviamente chamou atenção do público presente e de outros competidores. “A maioria dos ciclistas buscam adquirir bicicletas de última geração, com componentes de precisão e, sobretudo leves”, dice Víctor Zapata, responsável pela organização da prova. “Normalmente todo competidor utiliza luvas, óculos de proteção, sapatilhas etc. Ver este senhor participando de igual para igual sem praticamente nenhum equipamento e pedalando em uma bicicleta simples e pesada é surpreendente”, completa.

De acordo com Zapata, este é o terceiro ano que a Sky Challenge Bike International ocorre, prova considerada a segunda mais alta do mundo, perdendo apenas para a etapa dos Himalaias. O organizador ressalta que os principais desafios encontrados no percurso são os predominantes trechos técnicos com muito barro e pedras, com a agravante redução de até 40% dos níveis de oxigênio a partir dos 4.000 metros de altura.

Premiação baixa – Apesar do feito, Contreras lamentou o fato da premiação conquistada foi de apenas 300 pesos (pouco mais de 120 reais). De acordo om a organização da prova, o valor total da premiação foi de 30.000 pesos, distribuídos em todas as categorias, sendo que os maiores valores foram dados à categoria Elite, onde o vencedor completou o percurso de duas horas e quarenta minutos.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização