21 de fevereiro de 2024
Foto: Marcelo Barreto / MTB Brasília

Bomba de ar portátil S-Tres BSM

Acessório de emergência da Session Brasil alia eficiência, facilidade de uso e durabilidade

Ferramenta mais importante e utilizada em nosso ‘kit de sobrevivência’ nas pedaladas, uma bomba de ar define a diferença entre um problema resolvido e ou mais um problema para administrar. Afinal, quantos ciclistas se deram conta de que sua bomba portátil não funcionava como o esperado justamente na hora que o pneu fura?

Ao se adquirir uma bomba de ar – seja ela portátil ou de piso -, é necessário levar em consideração uma série de quesitos que definirão se o acessório terá um funcionamento eficaz ou não, como tipo de válvula, pressão de trabalho e, principalmente, performance no enchimento. Foi levando estes itens em conta que experimentamos a bomba de ar S-Tres BSM, comercializada no país pela Session Brasil, uma distribuidora que tem se caracterizado por disponibilizar produtos de alta qualidade e com diferencial de uso.

Construída com barril em liga de alumínio 6063, com cabeça e empunhadura em plástico resistente, a S-Tres BSM utiliza o sistema de dupla ação (two-way), que faz com que seu êmbolo comprima o ar ao empurrar e na puxada de sua alavanca, diminuindo o tempo gasto na operação.

Com pressão máxima de trabalho de psi 60psi, a bomba da S-Tres é indicada para utilização em pneus de grande volume e baixa pressão, como no caso dos pneus de bicicletas mountain bike e urbanas, com medida entre 26 a 29 polegadas. E por falar em pressão, a Session Brasil disponibiliza também uma versão da BSM com manômetro incorporado, a S-Tres BCM.

A bomba vem acompanhada de suporte para fixação no quadro, para quem não gosta de carregá-la na bolsa ou mochila. O peso declarado da S-Tres BCM é de 112 gramas (que conferi exatamente com a nossa balança).

 O teste – Reparar um pneu furado é uma das tarefas mais chatas que existe no mundo da bicicleta, seja na estrada ou na lama da trilha (o que piora ainda mais a situação!). Como adepto incondicional de pneus tubeless que sou, de fato, fazia muito tempo que não me deparava com problemas como este, até o dia em que me deparei com um pequeno rasgo na parede lateral do pneu da minha bike, que o selante não conseguiu vedar de imediato. Apesar do revés, foi também uma bela oportunidade de utilizar pela primeira vez a BCM.

A bomba da S-Tres vem de fábrica configurada para uso em válvulas de câmara de ar do tipo Schrader (bico grosso), mais utilizadas em bicicletas recreacionais. Entretanto, graças a sua montagem reversível, é possível configurar a cabeça da bomba para funcionamento também com válvulas Presta (bico fino). Se for o caso da sua bicicleta, recomendo que o ciclista já faça a reversão em casa, evitando perder na trilha alguma peça interna da bomba.

Ao longo do teste da bomba, em nenhum momento houve falha no engate de sua cabeça com a válvula. Uma vez travada no lugar, a bomba impulsionou o ar de forma fluida, sem vazamentos aparentes e sem se soltar acidentalmente.

Durante todo o período de testes, o acionamento do êmbolo foi suave e constante do início ao fim do enchimento do pneu, o que corrobora a boa qualidade da BCM, já que bombas de ar de qualidade inferior costumam desgastar seus componentes internos precocemente graças ao atrito, deixando-as menos eficientes com o tempo de uso. 

Foto: Marcelo Barreto / MTB Brasília
Foto: Marcelo Barreto / MTB Brasília

Ao contrário das bombas de plástico, o barril de alumínio dissipa melhor o calor, algo particularmente útil em um modelo de dupla ação (que, em tese, esquentaria mais). A boa eficiência do sistema contudo, fez com que o pneu ficasse em sua pressão de trabalho antes que o manusear da BSM se tornasse desconfortável.

A eficiência da operação também deve-se em parte graças à empunhadura em ‘T’, que permite trabalhe em um ângulo reto, mais natural e cômoda.

Um aspecto que sempre levo em consideração na compra de uma bomba de ar portátil é a sua facilidade de manutenção. No caso da S-Tres BCM, um sistema de rosca na junção entre o barril e a empunhadura permite a remoção do êmbolo para limpeza e lubrificação sem a necessidade de ferramentas, algo particularmente útil para aqueles que mantém a bomba fixada ao quadro, exposta às intempéries.

Bomba de ar portátil S-Tres BSM

Eficiência
Facilidade de Uso
Versatilidade
Peso
Custo x Benefício

Muito Bom

Bomba eficiente e versátil, bem construída e com boa durabilidade

Conclusão – Se comparada a modelos de marcas mais conhecidas (e caras) do mercado, a bomba de ar portátil S-Tres BCM é uma grata surpresa, competindo de igual par igual com produtos bem mais caros. Trata-se de uma bomba altamente eficiente, relativamente leve e durável, onde a relação custo x benefício terá um papel de destaque em sua aquisição.

A única coisa que senti falta na BCM foi de uma cabeça ‘inteligente’ – geralmente presente em bombas topo de linha -, que reconhece automaticamente o tipo de válvula, sem a necessidade de desmontagem ou reconfiguração. Em se tratando de um modelo em sua faixa de preço entretanto, a ausência é perfeitamente justificável.

Preço e disponibilidade – A bomba de ar portátil S-Tres BSM pode ser encontrada nas lojas especializadas ao preço médio de 64 reais. A versão BSM, com manômetro, é comercializada ao preço sugerido de 94 reais.

Pontos positivos

  • Leve;
  • Sistema de acionamento por dupla ação (two-way);
  • Ergonômica;
  • Compatibilidade com válvulas Schrader e Presta;
  • Facilidade de manutenção.

Pontos negativos

  • Ausência de cabeça ‘inteligente’.

Sobre o autor

André Ramos é editor do website MTB Brasília
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização