25 de fevereiro de 2024

Corrente com elos de titânio alia leveza à durabilidade

Em média 30% mais leves que as correntes de transmissão convencionais, linha SLA da marca taiwanesa Yaban promete uma autonomia entre 6 a 8 mil quilômetros

Um dos maiores fabricantes de correntes de transmissão para bicicletas do mundo a Yaban (YBN), traz para o Brasil sua linha de correntes SLA, cujos principais diferenciais em relação à concorrência são o seu baixo peso e um nível de durabilidade sem precedentes.

Distribuídas no Brasil pela GTW/Heiland, a linha de correntes SLA é disponibilizada em versões para grupos de transmissão de 9, 10 e 11 velocidades e pesam, em média, 30% menos que as correntes de marcas concorrentes.

Construídas em aço cromo-molibdênio revestido com uma camada de níquel e PTFE (Teflon), as correntes contam com elos de titânio e pinos ocos cromados. Suas placas externas, recortadas a laser, contam um um perfil chanfrado de design exclusivo que não apenas permite uma troca de marchas mais rápida e eficaz como reduz os riscos da corrente pular no cassete quando se pedala para trás. De acordo com o fabricante, a combinação entre o revestimento de PTFE e o design das placas reduz em até 80% a fricção da corrente durante a troca de marchas.

Durabilidade superior – Em testes realizados em laboratório, a corrente SLA foi submetida a uma carga de 85kgf a uma velocidade constante de 30km/h, resultando em um desgaste três vezes menor que correntes de outras marcas.

Compatíveis com transmissões Shimano, SRAM, Campagnolo e Microshift, as correntes YBN são comercializadas em versões para grupos de  9 (SLA209), 10 (SLA210) e 11 (SLA211) velocidades. Até o presente momento, o distribuidor no Brasil não havia divulgado os preços a serem praticados no país.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização