23 de maio de 2024
Henrique Avancini se consagrou campeão da temporada 2017 -Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin

CIMTB: Henrique Avancini e Karen Olímpio vencem o Desafio da Ladeira e a prova de Maratona

Provas foram realizadas neste fim de semana, em Congonhas (MG) e contou pontos para o ranking mundial da UCI e do ciclo Olímpico Tóquio 2020

Os ciclistas Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e Karen Olímpio (Isapa / Oggi) foram os grandes campeões da etapa de Congonhas da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin), realizada neste fim de semana.

Ambos venceram tanto o Desafio da Ladeira, realizado na noite de sexta-feira (18), quanto a prova de Maratona, ocorrida neste sábado (19), comprovando sua superioridade técnica sobre seus adversários.

Na sexta-feira, o percurso de menos de um quilômetro do Desafio da Ladeira teve sua largada na Estação Ferroviária, finalizando em frente à Basílica Bom Jesus do Matosinhos. Apesar de curta, a prova foi considerada extremamente difícil por seus participantes.

Atletas subiram no pódio em frente a Basílica – Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin

“Essa prova é traiçoeira. Parece que é curta, parece que é explosiva, ao mesmo tempo lembra uma prova de Eliminator, mas é muito exigente. A subida tem uma rolagem muito ruim, as pedras são muito grandes. É impressionante, pois se você perder um pouquinho o ritmo, cai a velocidade absurdamente. Então, é difícil você achar o torque certo durante a subida toda. É um excelente teste para os atletas e um grande entretenimento para o público. Sexta-feira à noite, a galera chegando na cidade, aquele clima de prova bacana e ver os atletas da Elite se digladiando é bem legal e eu fico feliz de fazer um bom show”, comentou o vencedor da Elite Masculina, Henrique Avancini, que pedalou forte para chegar a frente de Rubens Donizete Valeriano (Sense Factory Racing) e de Carlos Alberto (TSW Racing Team), segundo e terceiro colocados respectivamente.

Veterano no Desafio, o vice-campeão Rubens Donizete, disse que o resultado foi melhor do que o esperado. “Meu plano era chegar entre os cinco. Então, teve um momento que eu não sabia se eram os atletas que estavam poupando ou se era eu que estava forte. Mas eu continuei no meu passo, os caras começaram a atacar e eu ainda tinha força. Quando faz a curva lá embaixo, que a gente consegue ver a chegada é preciso ter tranquilidade, porque parece que está perto, mas a impressão é que a gente está pedalando, pedalando e não chega. Estou feliz demais com o segundo lugar”, comentou.

Prova explosiva lava atleta ao limite – Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin

No Feminino, a vez foi de Karen Olímpio (Isapa Oggi). Letícia Cândido (TSW Racing Team) e Kelly Olímpio conquistaram o segundo e terceiro lugar, respectivamente. “Dei meu máximo no começo ao fim. Essa prova é bem desgastante, é uma explosão que começa na largada e só termina na chegada, mas eu fiz força e alcancei o objetivo”, disse Karen ao final da prova.

A vice Letícia Cândido comentou que a subida leva o atleta ao limite. “É uma subida de menos de 1 km e você chega no limite. Para mim foi bem legal. Meu foco nessa etapa é me defender e defender a camisa de líder. Conquistei o segundo lugar, sou vice-campeã e estou bem feliz. Agora é concentrar, para fazer o melhor na Maratona”, afirmou.

O terceiro lugar ficou para a irmã da campeã. Kelly Olímpio estreou no Desafio da Ladeira e se surpreendeu. “Meu desempenho foi além do que eu esperava, porque é a primeira vez que eu faço o Desafio da Ladeira. Como as meninas são muito fortes, eu não esperava ficar em terceiro. Para mim, a Maratona tem mais meu perfil e estou confiante”, finalizou.

Maratona – No dia seguinte, o tempo seco em Congonhas deixou a prova de Maratona da CIMTB ainda mais difícil. Os atletas largaram mo percurso de 63 km, que repetiu o pódio da noite anterior. “O final de semana foi bom pra mim. A vitória no Desafio da Ladeira ontem e também no XCM. Hoje fiz uma prova acima das expectativas, vim de uma carga de treinamento bastante grande, tentei encaixar Congonhas com uma sucessão de treinamentos, então eu não sabia se o corpo responderia bem ou não e na realidade, talvez tenha sido uma das melhores etapas que eu fiz esse ano e estou mais feliz ainda por consagrar o título da temporada. É meu quarto título na Elite na CIMTB e já cumpri meu dever de casa”, disse Avancini.

O vice-campeão do XCM, Sherman trezza disse que gostou do desempenho dele hoje. “O Henrique Avancini conseguiu uma fuga sozinho no começo. Eu mantive no primeiro pelotão e a gente ficou a maior parte da prova em quatro atletas. Bem perto do final, no quilometro 50 eu arrisquei um ataque e vim sozinho até a linha de chegada. Consegui segurar a segunda colocação, mesmo com as dificuldades do dia. Estava bem complicado devido a poeira, além da altimetria da prova que é dura, tem muita subida íngreme. A pista vai te minando até conseguir chegar ao final”, afirmou.

Já o terceiro colocado, Lukas Kaufmann, disse que buscou o objetivo de ficar entre os três. “Realmente o meu objetivo era fazer o Top 3 porque eu já tinha ficado duas vezes em quarto. Fiquei realizado com o resultado hoje, fiz uma boa prova e consegui me manter no pelotão principal”, contou.

Karen Olímpio levou a melhor no Feminino – Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin

No Feminino, Karen Olímpio chegou novamente em primeiro, desta vez com Valéria Garcia Ruiz da Colômbia e Sofia Subtil (Audax Bike Team) completando o pódio.

Após a prova, a nova campeã Karen Olímpio disse que se surpreendeu com o resultado, já que é uma atleta da categoria Sub-23. “Fiz uma boa prova hoje, estou muito feliz, já que esta é a primeira vez que, correndo na Sub-23, eu consegui superar as atletas da Elite. Agora, quero focar nas próximas etapas para manter bons resultados”, comentou.

A vice foi a colombiana Valeria Ruiz que afirmou que as viagens e fusos horários podem ter prejudicado o resultado. “Eu fiz outras corridas e o cansaço das viagens afeta um pouco. Além disso, é uma prova muito difícil, mas na Colômbia corremos em situações como essa, com muitas montanhas com subidas fortes e descidas técnicas. Esta prova estava nas condições perfeitas, mas a Maratona é muito forte para mim”, comentou.

Fechando a terceira colocação no Feminino, Sofia Subtil disse que fez uma prova de recuperação. “Fiquei bem satisfeita porque foi uma prova de recuperação. Eu reagi bem a partir do apoio. Até lá, eu não estava muito bem encaixada, as pernas não respondiam e a partir do apoio eu passei três meninas e consegui a terceira colocação que pra mim foi bem gratificante. Uma prova de recuperação muito boa”, disse.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização