23 de abril de 2024

Nova Reacto, a bicicleta mais veloz da história da Merida

Modelo utilizado pela equipe Barhain Merida Pro Cycling Team está mais leve, aerodinâmica e confortável do que nunca

Lançada oficialmente por ocasião da estreia do Tour de France 2017, a nova Merida Reacto III – terceira geração da consagrada bicicleta de estrada da marca taiwanesa – chega ao mercado com uma pretensão nada modesta: ser a bike mais veloz do pelotão.

Testada e utilizada pela equipe de ciclismo Bahrain Merida Pro Cycling Team, a nova Merida Reacto teve seu quadro redesenhado, tendo por objetivo aumentar sua aerodinâmica nos limites da nova regulamentação da União Ciclística Internacional (UCI). Além disso, os engenheiros da Merida trabalharam arduamente para deixar o quadro mais leve e confortável, sem prejuízo de sua rigidez.

Outras mudanças significativas incluem a opção de quadros e garfos específicos para freios a disco e a preocupação em reduzir o arrasto aerodinâmico na região do cockpit.

Construção – A nova linha Reacto será disponibilizada em dois níveis de quadro, o modelo premium CF4 e o CF2, cada um com suas próprias características de geometria.

O modelo topo de linha CF4 utiliza uma configuração de fibras de carbono que resulta em um material ligeiramente mais leve. Além disso, o CF4 utiliza uma geometria mais agressiva, própria para competições, com um stack mais baixo e um ângulo da caixa de direção mais agudo em comparação com a Reacto 2017. Além disso, a altura do tubo da caixa de centro foi reduzido em 5mm.

As bicicletas mais baratas da linha Reacto III utilizam o quadro CF2, um pouco mais leve e com uma geometria mais relaxada, se comparada ao CF4, com o ângulo da caixa de direção 1º a menos que no modelo topo de linha. A altura do stack é 200mm maior e seu reach, ligeiramente menor.

Em ambos os casos, houve uma significativa redução no peso final. Enquanto que na Reacto II o peso do quadro era, em média de 2.046 gramas (garfo e canote incluídos), no novo quadro, o peso não passa dos 1.667 gramas.

Cockpit aerodinâmico – Para reduzir ao máximo o arrasto aerodinâmico, optou-se por uma mesa integrada ao guidão nos modelos CF4, além do uso de espaçadores da espiga do garfo no formato aero

O canote de selim S-Flex, também com design aero, foi desenhado para absorver pequenas vibrações, aumentando o conforto do ciclista.

Freios – Com cada vez mais fabricantes disponibilizando versões de bicicletas de estrada equipadas com freios a disco, a Merida não poderia ficar de fora. Boa parte dos modelos da nova linha Reacto III terão opções de escolha entre freios de aro  ou a disco, estes últimos com montagem direta no quadro (flat-mount), eixos thru-axles de rodas de 12mm e rotores de 160mm.

Modelos e configurações – Serão disponibilizados ao todo sete modelos da nova Reacto II, cinco deles com opções de freios a disco ou aro.

Os quatro modelos topo de linha utilizam quadros de carbono CF4 e as opções de componentes são:

  • Reacto Team-E: Shimano Dura-Ace Di2
  • Reacto 9000-E: SRAM eTap
  • Reacto 8000-E e 7000-E: Ultegra Di2
  • Reacto 6000: Shimano Ultegra
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização