25 de maio de 2024
Foto: H.C. Dittrich / Picture Alliance

Pedalar para o trabalho reduz chances de câncer e problemas cardíacos, conclui estudo

Pesquisa publicada no British Medical Journal mostra que andar de bicicleta no dia a dia diminui em mais de 40% riscos de ocorrência de câncer e problemas cardíacos

O hábito de ir ao trabalho de bicicleta reduz o risco de desenvolvimento de câncer, doenças do coração e outras causas de mortalidade. É o que conclui um estudo realizado por cientistas britânicos publicado nesta quinta-feira (20/04) no British Medical Journal (BMJ).

Segundo a pesquisa, ir ao trabalho de bicicleta reduz em 45% as chances de câncer e em 46%, de problemas do coração, em comparação com pessoas que utilizam outros meios de transporte independentemente do sexo, idade, etnia, atividade física ou comportamento sedentário.  

“Estes resultados são relevantes, porque o deslocamento ativo diário é uma contribuição importante para a atividade física completa”, conclui o estudo. “Encorajar o deslocamento ativo entre a população, particularmente por meio do ciclismo, pode ser uma forma viável de prover benefícios à saúde relacionados à atividade física”.

Quem vai ao trabalho a pé reduz em 27% o risco de doenças cardíacas e em 36% as chances de morrer devido a essas complicações, mas não há efeitos sobre menores chances de ter câncer e morte prematura.

Ciclistas apresentam, em geral, melhores condições físicas, pelo fato de o exercício ser mais intenso do que a caminhada, diz a pesquisa.

Políticas públicas – O estudo foi realizado com 264.377 pacientes com faixa etária média de 53 anos, cadastrados no banco de dados biológicos Biobank, que reúne informações sobre 500 mil adultos britânicos.

“As descobertas, se causais, sugerem que a saúde da população pode ser beneficiada por políticas que aumentem o deslocamento ativo, particularmente pedalando”, disseram os pesquisadores.

Os cientistas britânicos defendem que autoridades desenvolvam políticas públicas específicas para incentivar a população a incluir a bicicleta na rotina. Isso inclui mais ciclovias e melhor acesso de ciclistas ao transporte público.

“Deixar os automóveis para optar por modos mais ativos de deslocamento também irá reduzir o congestionamento nos centro urbanos e ajudar a reduzir a poluição do ar, trazendo ainda mais benefícios à saúde”, afirmou o professor Lars Bo Andersen, da Universidade de Ciências Aplicadas do Oeste da Noruega.

Com informações da Deutsche Welle

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização