29 de maio de 2024
Karen Olímpio - Foto: Thiago Lemos / CIMTB

Atletas Shimano iniciam temporada de Mountain Bike na Taça Brasil de XCO no Paraná

Shimano Sports Team estará representado por 12 atletas de MTB cross country olímpico das cinco equipes apoiadas pela marca na prova em Campo Largo (PR), neste fim de semana

Os dias de treinamentos intensos nos últimos dois meses, período de base para a temporada de 2017, darão espaço neste fim de semana às disputas de tirar o fôlego na Estância Águas da Serra, em Campo Largo (PR). Os melhores ciclistas de mountain bike do País disputam neste sábado e domingo (11 e 12) a Taça Brasil de XCO, primeira competição do calendário nacional de MTB valendo pontos no ranking mundial. A Shimano será representado por 12 atletas de cinco equipes.

Ricardo Pscheidt – Foto: Divulgação

Entre eles, destacam-se Ricardo Pscheidt (Trek Brasil), Rubinho Valeriano e Guilherme Muller (ambos Sense Bike Factory Racing), Sherman Trezza e Wolfgang Soares (ambos Caloi Elite Team) e Daniel Grossi (Groove/Shimano), fortes candidatos na briga pelo título da principal categoria do evento, a Elite Masculina. Completam o Shimano Sports Team em Campo Largo os atletas Luiz Renato Borges, Karen Olímpio e Kennedi Lago (Oggi/Shimano), Jefferson Batista e João Pedro Firmeza (AVA Project) e Mario Couto (Sense Bike Factory Racing).

Guilherme Muller – Foto: Thiago Lemos / Divulgação

Para o catarinense Ricardo Pscheidt, o foco está em buscar um lugar no pódio, além de testar o físico e poder avaliar como os principais rivais estão preparados. “A Taça Brasil tornou-se a competição que abre oficialmente o calendário do XCO nacional. Sempre temos uma expectativa em relação a essa corrida, em torno do próprio desempenho e também dos demais atletas. Creio que, como já vinha acontecendo no último ano, novos atletas comecem a se destacar e a figurarem no pódio da elite. Para mim é uma competição com um gosto especial, já que é uma das poucas provas UCI disputadas próxima à minha região”, destaca Pscheidt.

Daniel Grossi – Foto: Divulgação

O mesmo vale para o mineiro Daniel Grossi, que além de analisar os adversários, pretende buscar o ritmo de prova, uma vez que não compete desde outubro de 2016. “Durante minha preparação em janeiro tive uma queda e acabei levando pontos no joelho. Isso acabou atrapalhando minha preparação para temporada, porque fiquei 10 dias sem treinar. Com isso, apertei nos treinos e corri atrás do tempo perdido nas últimas semanas, dando maior importância para as demais provas que vamos ter durante o ano de 2017”, conta Grossi.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização