22 de maio de 2024
Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

André Bretas vive temporada dos sonhos no MTB Enduro

Primeiro ciclista brasileiro a disputar o circuito mundial Enduro World Series fala sobre sua experiência e aprendizados após competir oito etapas em sete países

O principal nome do Mountain Bike Enduro do Brasil chama-se André Bretas. O ciclista mineiro natural de Governador Valadares, de 28 anos, que defende a equipe Specialized Racing BR consagrou-se bicampeão do Brasil Enduro Series – circuito brasileiro de Mountain Bike Enduro – e entrou para história do esporte ao tornar-se o primeiro e único representante brasileiro durante todas as etapas do Enduro World Series 2016.

Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

Nesse ano de estreia em terras estrangeiras, Bretas deparou-se com muitos desafios, que lhe tiraram da zona de conforto, mas também proporcionaram um ano de aprendizado e muita evolução. André fechou a temporada como o melhor do Brasil e ficou entre os Top 60 do mundo, após pedalar por países como: Chile, Argentina, Irlanda, Itália, Estados Unidos, Canadá e França. Confira a entrevista completa:

Você tornou-se o 1º brasileiro a disputar o circuito mundial de Enduro, qual é o balanço que você faz das competições?

André Bretas – É impressionante o Enduro World Series, todas provas são de altíssimo nível, sem dúvida, foi o maior desafio mental, físico e técnico de toda minha vida. Pelo fato de 2016 ter sido meu primeiro ano no EWS, apesar de acreditar muito no meu potencial para bons resultados eu estava muito focado em aprender o máximo possível, adquirir experiência para traçar estratégias consistentes (pois não é só subir na bike e “torcer o cabo”).

Comecei o ano com os resultados que eu gostaria (três vezes top 50 nas três primeiras etapas), daí pra frente a sorte não estava muito ao meu lado; voos cancelados e atrasados, bike extraviada, quedas e até um abandono em uma das etapas. Acabei não finalizando o ano na posição de ranking que eu gostaria (fiquei em 60ª posição), mas nos resultados em estágios das provas, consegui atingir meu objetivo que tracei. Me classifiquei por algumas vezes no Top 30 e tive como melhor resultado do ano 26º colocado na quinta especial da etapa de Valberg na França (na frente de nomes que estão sempre brigando pelo top 10 como Matti Lehikonen, Wyn Masters, Curtis Keene e Jared Graves, este último que acabava de ser campeão no Colorado-EUA). Enfim, finalizei o ano com um sensação de dever cumprido, representei o Brasil o melhor que eu pude. Hoje me sinto realizado e motivado para voltar o ano que vem mais forte e também por encorajar mais brasileiros a buscarem o mesmo.

Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

Quais foram os momentos mais marcantes da sua temporada 2016?

André Bretas – Sem duvida, minha sequência de vitórias no Brasil, me mantendo invicto na temporada 2016. Mas fatos curiosos acontecem sempre, a caminho da etapa da Irlanda, por exemplo, meu voo foi cancelado e só consegui chegar em Wiclow quando a prova já havia começado. Já na etapa de La Thuile, na Itália, minha bike foi extraviada pela companhia aérea e só chegou no dia que começava a prova. Ainda nessa etapa, a temperatura dos Alpes estava variando muito, e em alguns momentos do fim de semana chegamos a enfrentar temperaturas abaixo dos 2 graus Celsius. Era impossível pra quem nasceu em Governador Valadares (40º C o ano todo) segurar o guidão com todo aquele frio!

O espirito esportivo do enduro também é muito marcante durante as provas, todos se ajudam quando é necessário, por duas vezes esse ano, tive que pegar carona sentado no guidão da bike de colegas, enquanto outro carregava minha bike. Em uma das ocasiões, bati com a coroa em uma pedra e não tinha mais como pedalar, foi então quando o Wallace Miranda e o Diego Knob me ajudaram a voltar pro box.

Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

Acredita que conseguiu evoluir como atleta e pessoa? Cite alguns exemplos da sua evolução?

André Bretas – Com certeza, experiências no esporte a gente leva pra vida e vice-versa. A questão do desafio mental de todas essas provas, lidar com a ansiedade, nervosismo, medo e altos e baixos, me fizeram evoluir muito, principalmente, no trabalho e no convívio social, me deixando mais calmo e me ajudando a me manter centrado, por mais que algo tente me tirar a atenção. A disciplina também me fez evoluir muito e tem me ajudado a traçar e atingir metas no trabalho e no esporte.

Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

Você é um atleta dedicado e que pedala vários tipos de bicicletas, certo?
André Bretas – Sim, dedicação e disciplina são uns dos meus pontos fortes. Por causa do meu interesse, sempre estou aprendendo algo novo também, e isso tem tudo a ver com bike! Venho do Downhill, mas hoje minhas paixões são Enduro e Road (ciclismo estrada), pedalo praticamente 6 dias na semana, quase nunca abaixo dos 70km por dia. Se for treino de MTB Enduro, nunca piloto menos do que dois mil metros de altimetria. Além disso, eu tomei gosto por me preparar bem pra provas, e sempre quando saio de casa em direção a uma corrida tendo certeza de que fiz tudo que estava no meu alcance para estar bem física e tecnicamente.

Além de atleta profissional, você é empresário, casado e tem uma filha pequena, como consegue conciliar essa rotina?

Sou casado e tenho uma filha de 1 ano e dois meses. Além disso administro também a loja Bike Trilha. Meu dia a dia não é nada fácil, conciliar família, trabalho na loja e trabalho como atleta é uma rotina intensa. Minha semana é terça à domingo, acordo entre 4:00 e 4:30 horas da manhã, desse horário até às 8 e 9:00 horas é o período do meu treino com bike. Após isso, trabalho de 9 às 19 horas, depois vou direto para academia fazer algumas rotinas de exercícios. Daí volto pra casa para passar um tempo com a família e recarregar a bateria pro dia seguinte. Resumindo, é muita disciplina e foco no objetivo. Acaba não sobrando tempo para outros compromissos, ás vezes, quando tenho um aniversário ou até mesmo uma saída para colocar o papo em dia com casais de amigos quase sempre acabo dormindo na mesa do restaurante, no sofá da casa dos amigos ou dentro do carro! As pessoas mais próximas já se acostumaram com essa rotina.

Foto: Divulgação / Specialized Racing BR

Qual é a mensagem que gostaria de deixar para garotos e novos adeptos aos esportes de bicicleta?

Aos pilotos da nova geração e aos novos adeptos das duas rodas, eu digo apenas divirtam-se! A bicicleta é um esporte maravilhoso que te leva aos lugares incríveis. E se o intuito for competição, façam com dedicação e paciência que o resultado uma hora vai chegar.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização