19 de maio de 2024

Desidratação funcional, a nova e polêmica técnica de doping no ciclismo

Médico da equipe britânica Sky afirma que perder dois quilos mediante uma desidratação controlada fez com que Chris Froome escalasse o Alpes d’Huez 47 segundos mais rápido

Uma nova técnica de perda de peso praticada promete ser a grande polêmica para os próximos anos no ciclismo . De acordo com Roger Palfreeman, médico da equipe de ciclismo de estrada britânica Sky, deixar o ciclista desidratado pode fazer com que seu desempenho melhore nas subidas.

Denominada como Desidratação Funcional, a técnica foi apresentada por Palfreeman em uma conferência no Qatar sobre calor e ciclismo. Na ocasião, o médico da Sky citou o exemplo do tricampeão do Tour de France Chris Froome que, ao perder cerca de dois quilos mediante uma desidratação controlada algumas horas antes da etapa de montanha, foi capaz de escalar o Alpes d’Huez com 47 segundos a menos do que seu tempo normal.

Segundo Palfreeman, a desidratação funcional aumentou sensivelmente a relação peso x potência do atleta sobre a bicicleta, o que resultou em uma melhor performance.

“O peso do ciclista é um dos fatores mais determinantes para a obtenção de bons resultados no ciclismo de estrada. Ao perder oito quilos entre 2007 e 2012, baixando de 75 para 67 quilos, Froome passou de ciclista comum a vencedor do Tour”, disse o médico.

“Mesmo com menor consumo de oxigênio e menor potência absoluta em watts, o ciclista britânico obteve o mesmo rendimento relativo que o pentacampeão do Tour Miguel Indurain, que pesava 14kg a mais que Froome”, completa.

Enganando o organismo – Palfreeman destaca que os ciclistas precisam aumentar a tolerância à sensação de sede ao beber menos líquidos que o corpo necessita para que o lado psicológico não afete sua performance e para isto vale até omitir informações ao mesmo sobre seu real estado de desidratação. Segundo o médico da Sky, isto ajuda a combater a sede que os atletas possam sentir porque não são informados do seu real estado e evitam assim ‘pensamentos negativos’.

Outra forma de combater a sede é a utilização de gargarejos com líquidos a base de mentol, que dariam uma sensação de frescor, enganando o organismo. A esta última técnica, Palfreeman deu o nome de “treino da percepção térmica”.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização