23 de abril de 2024
Foto: Divulgação / Scott

Scott dá dicas do que levar em consideração na compra de sua primeira mountain bike

Marca suíça explica detalhadamente cinco tópicos que irão ajudar – e muito – na hora de tomar a decisão de qual bicicleta levar para casa

Escolher a bicicleta certa não é uma tarefa simples. É preciso ficar de olho até nos pequenos detalhes. Mas como atingir os 100% de acerto na hora de adquirir a primeira mountain bike?

De modo geral, existem dois critérios básicos que todo ciclista deve ter em mente. O primeiro é o quadro, pois este é a alma da bicicleta, e sua escolha depende muito do objetivo do ciclista. Por exemplo, se ele vai usar a bike para treino, competição (aí entra também o tipo da prova) ou cicloturismo.

O segundo quesito é o conjunto de peças, afinal é ali onde estão os detalhes que muitos iniciantes têm dificuldades em entender ou observar. Calma, a gente explica melhor nos tópicos abaixo. Vamos lá:

O que procurar no quadro?

A primeira mountain bike deve atender a todas – senão a maioria – das necessidades do ciclista. Nesse caso, o quadro precisa ter:

Geometria acertada – para oferecer conforto e desempenho em passeios, trilhas e cicloviagens. No caso das viagens, é importante observar se o quadro possui fixação adequada para receber bagageiros, pois aqueles que não oferecem esse recurso são bastante limitados no transporte de alforjes.

Diferentes opções de tamanhos – o ideal são as marcas que oferecem cinco opções, por exemplo: S, M, L, XL e XXL. Só essa amplitude vai oferecer a bicicleta certa que atenda todos os ciclistas de acordo com a estatura de cada um.

Suspensão

As nomenclaturas das suspensões podem confundir até os mais experientes no mercado. Fique atento às peças de reposição como botões, travas e saiba se o lojista possui equipamentos e pode oferecer assistência para eventuais problemas.

Scott Aspect 940 2017 - Foto: Divulgação / Scott
Scott Aspect 940 2017 – Foto: Divulgação / Scott

Falando de Scott: a Suntour está presente na maioria das bikes de entrada da marca suíça, como as linhas Scott Aspect e Scale. Porém, existem outros modelos equipados com Fox e Rock Shox. As três contam com grande quantidade de peças de reposição e pessoas treinadas para assistência e pós-venda. No caso da Suntour, existem modelos que oferecem o recurso de travá-la no corpo da suspensão ou até acionamento remoto no guidão da bicicleta.

Freios

Muito parecido com a decisão de escolher a suspensão. Pergunte se existem peças de reposição e como fazer para adquiri-las como pastilhas, mangueiras ou outros itens que o lojista possua para a “sangria” do freio.

Falando de Scott: marcas como Shimano são predominantes nas bicicletas da marca suíça. Porém, há em outros modelos os produtos da Sram e da Tektro. Todas são confiáveis.

Scott Aspect 950 2017 - Foto: Divulgação / Scott
Scott Aspect 950 2017 – Foto: Divulgação / Scott

Peças e componentes

O conjunto de peças vai garantir a durabilidade e o funcionamento da bike. Mais vale ter um conjunto em perfeita harmonia do que o melhor câmbio traseiro.

Existe o hábito de olhar somente para a marca ou modelo do câmbio traseiro e quantas velocidades a bicicleta possui. Cuidado, pois são outros itens como cubos, pedivela, cassete, movimento central e caixa de direção que normalmente dão as maiores dores de cabeça aos ciclistas. Olho neles!

Manopla e selim

Manopla e selim são os principais pontos de contato do ciclista. É sempre válido dar atenção a esses itens, entender se eles oferecem conforto e como isso pode favorece-lo.

“Então, qual bike você recomenda?”

Com o slogan “desempenho sem abrir mão do conforto”, a linha Aspect é perfeita para o mountain biker iniciante, porque conta com:

  • Head tube alongado – proporciona uma pilotagem mais ereta.
  • Top tube ligeiramente reduzido – oferece um posicionamento mais confortável.
  • Triângulo traseiro ligeiramente mais comprido – a velocidade média é mantida com mais facilidade.
  • Suporte para fixação de bagageiros – maior versatilidade para fixação de bagageiros e alforjes.
  • Os melhores componentes – respeitando compatibilidade das famílias Shimano e preservando a relação (pedivela/coroas, câmbios e cassete) da marca. O que proporciona, além de grande durabilidade, trocas de marchas extremamente precisas.
  • Suspensões – Suntour e freios Shimano ou Tektro.

Agora já sabe. Pegue este manual e leve para o seu lojista. Confira com ele cada um dos tópicos acima quando for escolher a sua próxima bike.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização