29 de maio de 2024

Kona Operator abandona de vez o formato 26″ e se atualiza com rodas 27.5 polegadas

Modelo topo de linha de DH da marca estadunidense será disponibilizada em três versões distintas, todas com quadro em liga de alumínio 6061 

Um dos últimos fabricantes a ainda utilizar o formato de rodas 26 polegadas em sua linha MTB, a Kona anunciou esta semana a atualização de sua Operator de bicicletas de downhill, que passa a contar com rodas e geometrias especificas para o formato 27.5″.

De fato, desde 2014 os atletas da marca já estavam utilizando protótipos da Operator equipados com rodas 27.5″, deixando claro que um modelo de produção comercial estaria por vir.

A Kona Operator 2017 vem com caixa de direção cônica e garfo amortecedor RockShox Boxxer
A Kona Operator 2017 vem com caixa de direção cônica e garfo amortecedor RockShox Boxxer

O grande desafio da Kona nesta atualização foi manter a reconhecida agilidade natural da bike topo de linha de DH aproveitando as vantagens naturais na transposição de obstáculos proporcionadas pelo formato de rodas maior e isto só foi possível graças a uma série de alterações em sua geometria.

Kona Supreme Operator, equipada com garfo RockShox Boxxer WC e grupo SRAM X01 DH de 1×7 velocidades
Kona Supreme Operator, equipada com garfo RockShox Boxxer WC e grupo SRAM X01 DH de 1×7 velocidades

A principal alteração encontra-se no tamanho dos stays, de apenas 423mm. O ângulo da caixa de direção foi alterado para 63º, resultando em um reach (distância entre o centro do pedivela e o centro da caixa de direção) muito maior que no modelo 26″.

A bicicleta impressiona pela qualidade no acabamento
A bicicleta impressiona pela qualidade no acabamento

Estranhamente, a Kona não disponibilizará a Operator no tamanho S (pequeno), mas apenas nos tamanhos M, L e XL.

Kona Operator DL, com grupo Shimano Zee de 10 velocidades
Kona Operator DL, com grupo Shimano Zee de 10 velocidades

Retorno ao alumínio – Outra diferença notável em relação ao modelo anterior foi o retorno do alumínio no lugar da fibra de carbono, prática já utilizada por outros fabricantes de bikes DH.

Tanto o triângulo principal quanto o basculante traseiro são construídos em liga de alumínio 6061, o que certamente resultará em uma boa redução do preço final da bicicleta.

Detalhe do protetor de quadro integrado ao tubo inferior
Detalhe do protetor de quadro integrado ao tubo inferior

O quadro conta com um escudos protetores integrados no tubo inferior e no tubo superior, próximo à caixa de direção, para evitar danos decorrentes de pancadas. Ao contrário dos modelos fabricados até 2016 que utilizavam o padrão de caixa de centro PF92, a Kona Operator 2017 utiliza o formato PF107, mais largo e estável.

Kona Operator, com garfo RockShox Boxxer RC e transmissão de 1×9 velocidades
Kona Operator, com garfo RockShox Boxxer RC e transmissão de 1×9 velocidades

A nova Kona Operator será disponibilizada em três versões: A topo de linha Kona Supreme Operator, equipada com garfo RockShox Boxxer WC e grupo SRAM X01 DH de 1×7 velocidades (7.499 dólares), a intermediária Kona Operator DL, com grupo Shimano Zee de 10 velocidades (3.999 dólares) e a ‘escolha econômica’ Kona Operator, com garfo RockShox Boxxer RC e transmissão de 1×9 velocidades (3.199 dólares). O fabricante também disponibilizará o quadro avulso, equipado com amortecedor RockShox Kage RC por 1.999 dólares.

Até o presente momento, não há informações sobre preços e disponibilidade no Brasil.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização