27 de maio de 2024

Britânico usa Google Street View para pedalar virtualmente pela Inglaterra

Com a ajuda de um óculos de realidade virtual e aplicativo do Google, Aaron Puzey, pretende pedalar o equivalente a 1.500km sem sair da garagem de sua casa

Pedalar, ainda que por poucos minutos, em uma bicicleta ergométrica via de regra é algo enfadonho. Para evitar a enfadonha rotina de praticar spinning na garagem de sua casa, o britânico Aaron Puzey resolveu utilizar a realidade virtual para tornar seus exercícios mais interessantes, de uma maneira barata e original.

VR

Utilizando um óculos de realidade virtual Samsung Gear VR para navegar através do Google Street View, Puzey pretende atravessar pedalando a Grã-Bretanha, cortando os 1,5 mil quilômetros que separam as localidades de Land’s End e John O’Groats.

Para simular os movimentos da pedalada virtual pelo Street View, Puzey criou um aplicativo que lê as informações transmitidas por um sensor de cadência Bluetooth instalado na bike ergométrica e aumenta ou reduz a velocidade da navegação.

Apesar de não possuir a qualidade de imagem de simuladores de realidade virtual dedicados, a solução proposta pelo britânico promete trazer mais emoções para os exercícios físicos realizados dentro de casa.

Por outro lado, a invenção apresenta alguns entraves. “O maior problema das imagens do Street View é a sua alta taxa de compressão e a falta de profundidade”, disse Puzey. Isso não prejudica a visualização de objetos estáticos como prédios, porém objetos dinâmicos, como pessoas e automóveis em movimento, ficam distorcidos. “Também vi coisas como insetos esmagados na câmera do Google”, completa.

VR

Uma vez tendo abstraído os ‘defeitos especiais’ da viagem virtual, o usuário pode se deparar com outro problema, a náusea, comum em equipamentos de VR, onde ocorrem discrepância entre o que o corpo está fazendo e o que cérebro está processando através dos olhos. Um bom exemplo geralmente ocorre quando se navega por locais complexos, como rotatórias, já que o cérebro demora a adaptar-se ao ambiente virtual, devido à compressão das imagens tridimensionais em camadas 2D.

A cicloviagem digital de Puzey teve início em maio e já progrediu até a região ao norte da cidade de Manchester. O inglês filma todos os trechos do trajeto, e faz comentários sobre a rota e o cenário em seu canal do YouTube. Embora o resultado ainda esteja longe de ser a experiência VR perfeita para ciclistas, a ideia certamente é interessante e tem um enorme potencial.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização