23 de abril de 2024
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

Bike Ateliê transforma peças usadas de bicicletas em móveis e obras de arte

Três amigos se unem de forma descompromissada e começam no Brasil uma produção artesanal com itens reciclados

Mesas, cadeiras, abridores de garrafas, luminárias, espelhos de parede, relógios, suportes e o que mais você puder imaginar ou não. Essa é a proposta que um jornalista especializado em ciclismo, uma arquiteta e um administrador de empresas ao fundar o Bike Ateliê, com o objetivo de fabricar móveis, utensílios para o lar e objetos de decoração com peças e componentes inutilizados de bicicletas.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

Criado pelo jornalista e fotógrafo do segmento de bicicletas Álvaro Perazzoli, pelo empresário, músico e fotógrafo Flávio Giovanni e pela arquiteta Mônica Leandro, o Bike Ateliê uniu a longa amizade ligada pela própria bicicleta na reciclagem de materiais velhos e inutilizados de bikes para construir objetos que pudessem ser úteis em casa ou mesmo servirem como móveis e artigos de decoração.

Os três sócios, que têm em comum a arte e a atual crise econômica do país, decidiram, em julho de 2015, utilizar as peças velhas e sem uso de suas próprias magrelas como matéria prima. A primeira criação foi um relógio de parede feito com um pedivela velho. A ideia não parou por aí: aros inutilizados tornaram-se mesas de sala, pedaços de quadros viraram luminárias e correntes desgastadas se transformaram em detalhes refinados e criativos.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

“A ideia de criar o Bike Ateliê surgiu durante uma visita casual que fiz na casa do Flávio, lugar que sempre rende boas idéias quando tomamos algumas cervejas. Pensamos no que poderíamos fazer nesse segmento. Chegamos à conclusão que a nossa solução estava no maior problema ambiental do planeta, o lixo”, fala Álvaro Perazzoli, que atua na comunicação do Bike Ateliê.

Flávio, que atua diretamente na produção, diz que esse projeto é a síntese de um sonho antigo de trabalhar com algo que contribua com um mundo melhor e use o conceito das bikes. “É uma forma simples e conceitual que encontramos de fazer algo bom para a humanidade. Transformamos o lixo em objetos reutilizáveis”.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

Mônica, que atua na elaboração dos projetos e criação, complementa que essa ideia é a transformação de algo que já teve um passado e foi descartado em algo novo, criativo e funcional, pronto para uma nova história.

Nascia o Bike Ateliê, uma empresa fruto da paixão e amizade de três profissionais brasileiros que resolveram dar um outro sentido na bicicleta.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

“Nós passamos a ver o mundo de uma forma diferente. Olhamos os móveis e objetos de nossas casas e pensamos com quais peças e componentes podemos recriá-los. Desconstruímos a ideia da bicicleta para dar um outro sentido a ela”, conta Álvaro.

O conceito por trás do projeto vai muito além da simples visão mercadológica do atual cenário econômico global. Segundo Mônica, reciclar tem ‘ciclar’ no nome e a reciclagem é uma nova ideia sobre algo que muitas vezes é visto como obsoleto, inútil ou sem mais valor.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

“A bicicleta por si só é uma das principais soluções ambientais do mundo. Mas há um momento que ela também vai ao descarte. Nós resolvemos esse problema e proporcionamos que ela continue ciclando”, declara Álvaro.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

O Bike Ateliê revelará todas as suas criações para o público e a imprensa no evento Bicicultura 2016, que ocorrerá entre os dias 26 e 29 de maio, em São Paulo (SP). O estande estará ao lado do Teatro Municipal na Bicifeira.

Foto: Agência Laborazoli / Divulgação
Foto: Agência Laborazoli / Divulgação

Para saber mais acesse: www.facebook.com/bikeatelie

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização