25 de maio de 2024
Escola Park Tool
Henrique Zompero, idealizador e fundador da Escola Park Tool no Brasil - Foto: Escola Park Tool / Divulgação

4 dicas para escolher um mecânico de confiança para sua bicicleta

Conhecimento, experiência, qualificação e confiança são critérios que fazem diferença na hora de escolher um profissional

Quais critérios um ciclista amador ou profissional deve levar em conta na hora de procurar um mecânico de bicicletas? Uma boa dica da Escola Park Tool é se basear no conhecimento, experiência, qualificação e confiança no profissional. São quatro fundamentos que fazem diferença para o mecânico, pois consegue fidelizar seu cliente e, para quem o contrata, porque encontra um serviço de qualidade.

Experiência

Na maioria dos casos, o mecânico de bicicletas é um ciclista que ganhou experiência fazendo reparos na própria bicicleta e decidiu trabalhar nesse segmento. Mas isso dá confiança? Silvio Clara, 33 anos, de São Paulo, pode dizer que não. Ele foi a uma oficina conceituada na capital paulista procurando uma solução para um problema na bicicleta. A resposta não foi o que ele esperava.

Unidade da Escola Park Tool próxima ao Parque do Ibirapuera, em São Paulo - Foto: Murilo Rezende / Seppia
Unidade da Escola Park Tool próxima ao Parque do Ibirapuera, em São Paulo – Foto: Murilo Rezende / Seppia

“Levei a minha bike num mecânico que era de confiança. Ele olhou e sem me apontar o que estava errado, disse que precisava trocar tudo nela. Que estava tudo ruim. Então, lembrei de um amigo dono de uma oficina recém-aberta. Ele olhou e disse que o problema era na corrente. Trocou-a e já estava tudo resolvido”, contou Silvio.

Qualificação

O amigo de Silvio é Eriston dos Santos, mecânico e sócio da Vento a Favor Ciclo Café. Eriston entra no perfil citado no início do texto, mas com um diferencial: ele é mecânico profissional formado e capacitado pela Escola Park Tool. Além de arrumar a bicicleta do amigo, ele ganhou um cliente fidelizado à sua loja, cafeteria e oficina.

“O que dá essa credibilidade é o ciclista ver que o mecânico tem experiência e conhecimento. Quando fiz o curso da Escola Park Tool aprendi a atender melhor o meu cliente. Não basta você chegar e arrumar a bicicleta dele. Você precisa dar o diagnóstico e, se possível, avisá-lo antes de um problema maior acontecer como pastilhas de freio, corrente, cabo, etc. O cliente sabe quando você está prestando um serviço ou quando você quer empurrar para ele um produto que tem na loja”, comenta Eriston.

Certificação

Para Henrique Zompero, idealizador e fundador da primeira Escola Park Tool da América Latina, a qualidade no serviço é fruto do conhecimento que o profissional deve procurar. O mecânico de bicicletas deve ser atualizado e saber como passar o problema para o ciclista. Isso é que fideliza o cliente.

Alunos da Escola Park Tool trabalhando como mecânicos da Equipe Focus durante a Copa Internacional - Foto: Divulgação / Facebook
Alunos da Escola Park Tool trabalhando como mecânicos da Equipe Focus durante a Copa Internacional – Foto: Divulgação / Facebook

‘Primeira coisa que o ciclista procura é conhecimento técnico. Depois manutenção de forma consciente e, por fim um profissional atencioso que saiba orientá-lo a usar a bicicleta corretamente para evitar custos a mais no reparo. Um mecânico capacitado é um melhor vendedor e uma referência em dar informações sobre o funcionamento da bicicleta”, analisa Zompero.

Opinião profissional

Cadu Polazzo, treinador da Seleção Brasileira de Mountain Bike, aponta o trabalho do mecânico de bicicleta como fundamental e destaca que ele faz toda diferença na performance do ciclista, seja ele amador ou profissional. Com a bike em ordem, o atleta só precisa se preocupar com a parte física e técnica, o que pode ser uma vantagem em uma prova, por exemplo.

“A bicicleta precisa estar em perfeito estado de funcionamento para o ciclista isolar a performance do organismo. Ter um equipamento 100% permite ao atleta se preocupar somente com o rendimento do corpo. É fundamenta saber o mecânico faz mais do que simplesmente ajustar a bicicleta. Ele precisa conhecer o jeito do ciclista e como ele gosta de pedalar, sua posição, como ele muda a marcha, qual é a profundidade que aperta o freio e posição do manete, por exemplo. Por isso seu trabalho é tão importante e a escolha deve ser criteriosa”.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização