25 de abril de 2024
Novo velódromo teve investimentos do Governo Federal e compõe a Rede Nacional de Treinamento - Foto: Francisco Medeiros/ Ministério do Esporte

Novo velódromo de Indaiatuba incentivará formação de atletas de alto rendimento

Equipes da China e de Portugal já demonstraram interesse em usar estrutura montada na cidade de Indaiatuba para adaptação antes dos Jogos Rio 2016

Plana, cheia de ciclovias e com trânsito calmo, a cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo, ganhou este mês um velódromo para seguir a vocação que tem no ciclismo. O local, batizado de Joaracy Mariano de Barros, foi inaugurado pelo ministro do Esporte, Ricardo Leyser, e pelo prefeito Reinaldo Nogueira.

A instalação integra a Rede Nacional de Treinamento, legado esportivo dos Jogos Rio 2016, que vai dar encadeamento às carreiras dos atletas, da base ao alto rendimento, nacionalizando os benefícios da realização do megaevento. Com investimento total de R$ 6,1 milhões, sendo R$ 5,2 milhões do Ministério do Esporte, o velódromo já foi procurado por equipes estrangeiras, dentre elas China e Portugal, que desejam fazer aclimatação no Brasil antes da Olimpíada.

“Acredito que teremos muitas equipes aqui. Essa é a tendência. E também a de realizar campeonatos internacionais e nacionais e trazer toda a indústria do ciclismo e do esporte, gerando renda e visibilidade para o município e formando exemplos para a nossa juventude”, destacou Leyser. A primeira competição no local será nos dias 14 e 15 de maio, com uma etapa do Campeonato Brasileiro da modalidade.

A disputa faz parte dos planos da Confederação Brasileira e da Federação Paulista de Ciclismo, em parceria com o município, de ocuparem o espaço com competições e treinos de equipes de alto rendimento. A pista também será usada para o desenvolvimento do esporte de base. “Vamos alinhar o calendário de eventos com as entidades esportivas e dar iniciação a essa modalidade, que é difícil. A inclinação da pista exige uma bicicleta especial, com os pneus mais estreitos e a caixa mais alta, então vamos educar a população e adquirir bicicletas para um trabalho de base”, projetou Humberto Panzetti, secretário municipal de Esporte e Lazer.

Na primeira etapa das obras, foi construída a pista, entregue em 2014 e que teve investimento de R$ 1,4 milhão, sendo R$ 975 mil do Ministério do Esporte. A estrutura segue os parâmetros exigidos pela União Ciclística Internacional (UCI), feita de cimento e com 250 metros lineares de extensão.

Na segunda etapa, foi finalizado o Centro de Formação de Atletas, ao custo de R$ 4,7 milhões (R$ 4,3 milhões do Ministério do Esporte). Foi construída uma arquibancada coberta para mil pessoas, lanchonete, sala de segurança, pátio e sanitários acessíveis. Também foi inaugurado o bloco das equipes, com 1,14 mil metros quadrados de área. São dez boxes para os ciclistas, com banheiros, ambulatório, sala de imprensa, administração, cozinha, despensa, refeitório e terraço. Todo o complexo, incluindo a pista, ocupa uma área de 2,87 mil metros quadrados.

Além da pista em Indaiatuba, o Ministério do Esporte também está construindo um velódromo coberto no Parque Olímpico da Barra, que será usado nos Jogos Rio 2016.

Homenagem – O nome do velódromo é uma homenagem póstuma ao atleta  Joaracy Mariano de Barros, que viveu e construiu a carreira na cidade, sendo campeão do ranking paulista de 1977 e integrante da seleção brasileira. “É muito boa essa homenagem aos precursores, que abriram as portas para termos hoje as condições que não tínhamos 20, 30 anos atrás”, afirmou o ministro. “Um ponto fundamental do nosso planejamento é esse. Nós estamos trazendo a infraestrutura para onde há a prática. Quando você pega uma cidade, que tem uma tradição gigantesca no ciclismo e traz um equipamento de qualidade, você está aproximando as pessoas que estão lá na ponta treinando, com a melhor infraestrutura”, completou.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização