29 de maio de 2024
Linha de produtos Aero Wedge Packs da Topeak - Foto: Divulgação / Topeak

Sem furo: 4 acessórios essenciais na hora de trocar o pneu da bike

Minibomba, acionador de CO2, remendo e bolsa de selim deixam ciclista preparado para possíveis danos no pneu

Na trilha ou estrada, se tem uma coisa que o ciclista sabe ao pegar sua bicicleta é: “estou sujeito a um pneu furado”. Claro, ninguém pede para passar por isso, mas é uma situação por qual todo apaixonado por bikes passou ou vai passar, seja praticando mountain bike, treinando na estrada ou passeando nas ciclovias da cidade.

Bomba de mão Rocket Race Master Blaster da Topeak - Foto: Divulgação / Topeak
Bomba de mão Rocket Race Master Blaster da Topeak – Foto: Divulgação / Topeak

Tutoriais e manuais sobre troca de pneus existem aos montes na internet. Porém, de que adianta saber como fazer se não tiver as ferramentas necessárias? Exatamente por isso é importante estar preparado. Veja alguns itens que podem fazer a diferença na hora de trocar o pneu:

Leve e portátil – minibomba ou bomba de mão

Bomba de mão Rocket Race Master Blaster da Topeak - Foto: Divulgação / Topeak
Bomba de mão Rocket Race Master Blaster da Topeak – Foto: Divulgação / Topeak

A funcionalidade pouco muda, já que todas têm o mesmo objetivo: encher o pneu. Porém o diferencial está no tamanho e no peso. Afinal, quanto menos ela incomodar durante o pedal, melhor para o ciclista. Alguns itens disponíveis no mercado vem com suportes para carregar no quadro, uma boa alternativa.

Mas lembre-se: não basta ser só bonita, leve e portátil. Ela precisa funcionar.

Dica: a bomba de mão Rocket Race Master Blaster da Topeak é uma boa referência para o ciclista. Além dos itens acima, ela possui mangueira extensível e roscas que aceitam válvulas fina ou grossa sem a necessidade de mudar peças internas.

Para encher mais rápido: acionador de CO2

Se o ciclista quiser mais agilidade e praticidade, o acionador de CO2 é uma alternativa à minibomba. Ele enche através de um pequeno cilindro de CO2 acoplado ao bico. Muito comum em competições, onde o ciclista deve fazer o reparo em menor tempo possível. É prudente levar sempre um segundo cilindro de CO2 como reserva.

Dica: o acionador Airbooster Race Pod X vem com os cartuchos de CO2 e uma faixa que o prende no selim da bicicleta, o que deixa muito mais fácil levá-lo durante o pedal.

Remendo permite troca em 1 minuto

Para situações urgentes, um kit de remendo ajuda muito. Com ele, o ciclista pode fazer o reparo necessário na câmara de ar de maneira rápida e prática.

Dica: a Topeak tem um kit completo e muito compacto que se chama Rescue Box. São seis remendos e uma lixa dentro de uma caixinha toda estilizada de apenas 6 cm e 18g. O kit ainda possui espaço para guardar power links, o que é útil diante de uma quebra de corrente.

Onde levar na bike?

Linha de produtos Aero Wedge Packs da Topeak - Foto: Divulgação / Topeak
Linha de produtos Aero Wedge Packs da Topeak
– Foto: Divulgação / Topeak

Na bolsa de selim. Existem produtos no mercado de diferentes tamanhos, encaixes e resistentes à água ou não. Aqui na hora de escolher vale mais uma vez os fatores resistência, qualidade do produto e portabilidade. Afinal, todas as suas coisas estarão lá. Se a alça estoura no meio do caminho ou uma chuva detona tudo o que está dentro, será um grande problema para o ciclista.

Dica: a linha Aero Wedge Packs da Topeak. Disponível nos tamanhos pequeno, médio e grande, as bolsas de selim têm espaço para a maioria dos itens acima e ainda canivete de ferramentas, espátula e até uma câmara reserva.

Soluções pequenas e práticas que podem fazer a diferença, os produtos citados acima são distribuídos no Brasil pela IGP Sports e podem ser encontrados em diferentes lojas do país. Veja mais.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização