22 de maio de 2024
Câmeras especiais equipadas com sensores térmicos que captaram uma estranha fonte de calor no interior das bicicletas - Reprodução / Corriere della Sera

UCI reage com ceticismo às novas denúncias de doping motorizado

Segundo a entidade, o sistema de vistoria por ressonância magnética ainda é a melhor maneira de detectar motores escondidos em bicicletas

Poucas horas após a apresentação de um reportagem investigativa denunciando que vários ciclistas teriam utilizado o chamado doping mecânico nas provas italianas Strade Bianche e Coppi & Bartali, a União Ciclística Internacional (UCI) respondeu à acusação que seus métodos de fiscalização para evitar este tipo de fraude seriam ineficazes.

A reportagem, levada a cabo pela rede televisiva Stade 2 e o jornal italiano Corriere della Sera, utilizou câmeras especiais equipadas com sensores térmicos que flagrado fontes anormais de calor no interior de quadros e rodas de bicicletas que, segundo os jornalistas, só poderiam ter sido geradas por motores escondidos e suas respectivas baterias.

Por sua vez, a UCI rebateu as acusações, alegando que o método de fiscalização adotado pela entidade, que utiliza ressonância magnética é de longe “o meio mais eficaz, confiável e preciso de localizar motores ocultos”.

O atula método de fiscalização adotado pela UCI utiliza um tablet especial, que permite ao seu operador testar quadros e rodas de bicicleta em menos de um minuto, através de ressonância magnética
O atula método de fiscalização adotado pela UCI utiliza um tablet especial, que permite ao seu operador testar quadros e rodas de bicicleta em menos de um minuto, através de ressonância magnética

“A UCI tem utilizado métodos de detecção de fraude tecnológica há muitos anos e, com o objetivo de aumentar cada vez mais a eficácia de sua fiscalização, tem utilizado novos métodos de combate ao doping mecânico, como o uso de imagens térmicas, raios-x e ultrassom, mas até agora, nosso atual teste de ressonância magnética tem se comprovado ser o meio mais eficaz e confiável”, declarou a entidade em nota divulgada à imprensa.

“Nosso teste utiliza um tablet especial, que permite ao seu operador testar quadros e rodas de bicicleta em menos de um minuto”.

Embora não tenha feito nenhuma menção sobre testes realizados especificamente na Strade Bianche ou na Coppi & Bartali, a UCI enfatiza a necessidade de estender seus testes a todas as provas com a cancela da entidade.

“Este ano, realizamos inúmeros testes em provas, como no Tour de Flanders e na Paris-Roubaix e iremos aumentar gradativamente as fiscalizações ao longo do ano. Estamos confiantes que atualmente temos um método de detecção extremamente eficiente e de fácil utilização”, completa a declaração da UCI.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização