29 de maio de 2024
Obras do Velódromo Olímpico do Rio - Foto: Prefeitura do Rio / Renato Sette Camara

Presidente da UCI se diz preocupado com atraso na conclusão de velódromo da Rio 2016

“Se quisermos realizar um evento-teste decente, será preciso acelerar a construção”, diz Brian Cookson

Os atrasos na construção do Velódromo Olímpico podem adiar pela terceira vez o evento-teste do ciclismo para os Jogos da Rio 2016. Em entrevista ao site Inside The Games, o presidente da União Ciclística Internacional (UCI), Brian Cookson, afirmou estar bastante preocupado com a finalização das obras, que ainda estão a 80% de sua conclusão.

“Eu preciso dizer que isso está nos preocupando imensamente. Não há dúvidas de que teremos um velódromo construído e pronto para os Jogos Olímpicos, mas o tempo está correndo para fazermos um evento-teste decente agora” afirmou o presidente da UCI.

“O tempo está correndo para fazermos um evento-teste decente agora”

No cronograma inicial, o Velódromo seria usado de palco para a primeira competição entre os dias 18 e 20 de março. entretanto, as obras inacabadas obrigaram o adiamento para 29 de abril e primeiro de maio. Embora Cookson não acredite que o atraso possa prejudicar a disputa dos Jogos, o curto prazo de tempo para a realização do evento-teste pode comprometer a qualidade do evento.

“Gostaria de pedir aos organizadores que se esforcem para que o Velódromo esteja pronto o mais rápido possível. Tenho certeza que eles estão determinados a fazer isto por conta própria e eles têm nosso apoio. Seria bom que o Velódromo estivesse pronto para o evento-teste e não apenas para as Olimpíadas. Estou confiante de que os construtores sabem o que estão fazendo, mas o tempo é curto”, disse.

Parque Olimpico da Barra, com a Arena do Futuro à frente da Arena Carioca 1, 2 e 3. Ao fundo, o Velódromo Olímpico do Rio e, à direita, o Centro Olímpico de Tênis - Foto: André Motta / Brasil 2016
Parque Olimpico da Barra, com a Arena do Futuro à frente da Arena Carioca 1, 2 e 3. Ao fundo, o Velódromo Olímpico do Rio e, à direita, o Centro Olímpico de Tênis – Foto: André Motta / Brasil 2016

Brian ainda ressaltou que a estrutura precisa ser construída com cuidado e atenção, uma vez que diversos fatores podem interferir em sua qualidade final.

“O lugar precisa estar totalmente protegido contra chuva e vento, além de contar com ar-condicionado devidamente instalado antes da pista ser colocada para garantir os níveis de umidade e temperatura corretos, para garantir que a pista de madeira não tenha problemas. Isto é extremamente importante, já que madeira é um material natural e precisa ser tratada perfeitamente para se ter resultados perfeitos”, finalizou.

Em dezembro de 2015, o velódromo recebeu um aditivo de R$ 24,8 milhões em relação ao seu orçamento original, o que elevou o seu custo total para R$ 143,6 milhões. Os recursos financeiros são do Governo Federal, com execução sob a responsabilidade da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Localizado junto à entrada do Parque Olímpico, o Velódromo, que após os Jogos passará a fazer parte do Centro Olímpico de Treinamento (COT) voltado para atletas de alto rendimento, permitirá que a cidade possa sediar futuras competições internacionais.

 

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização