25 de abril de 2024

Sistema de compartilhamento de bikes de Nova York atinge a marca de 10 milhões de usuários em 2015

Implementado em 2013, sistema CitiBike se impõe como o maior do Hemisfério Norte, superando Londres (9,9 milhões) e a Cidade do México (9 milhões)

A cada dia que passa, a cidade de Nova York se supera em sua busca por tornar-se a capital norte-americana da bicicleta. Há pouco mais de um ano e maio após ter sido eleita pela revista Bicycling como a melhor cidade dos Estados Unidos para se pedalar, a Big Apple, como é informalmente conhecida, atingiu no ano passado a impressionante marca de 10 milhões de utilizações de seu sistema de compartilhamento de bicicletas, o CitiBike.

CitiBike

A informação, anunciada pelo prefeito da cidade, Bill De Blasio, destaca um aumento de 24% em relação ao ano anterior, quando o CitiBike registrou a marca de 8 milhões de usuários.

“Este ano o CitiBike se consolidou como o sistema de bicicletas públicas mais exitoso do país e um dos maiores de todo o Hemisfério Norte”, disse o prefeito, que comparou a utilização do Citi Bike com outros sistemas de compartilhamento similares, como o Santander Bikes de Londres (9,9 milhões em 2015) e o mexicano Ecobici, com 9 milhões. Ainda segundo De Blasio, durante o ano de 2015 foram registrados picos de uso que superaram a marca de 50 mil utilizações em um único dia.

CitiBike

Iniciado em 2013, o CitiBike foi saudado com entusiasmo pelos novaiorquinos e pelos responsáveis por controlar o imenso tráfego de automóveis da cidade, apesar das dúvidas iniciais de que o sistema pudesse ser uma solução efetiva de transporte.

Nos últimos cinco anos, a prefeitura da cidade implementou cerca de 700km de ciclovias, o que resultou na diminuição dos atrasos e da poluição, além de promover uma cidade mais verde, mais saudável e claro, com mais ciclistas nas ruas.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização