22 de maio de 2024

Monitor sanguíneo portátil, a nova ferramenta para treinadores e fisiologistas esportivos

Equipamento mede a concentração de hemoglobina no sangue de forma rápida e não invasiva, fornecendo dados relevantes para a estratégia de treinamento do atleta

Atletas profissionais de alto rendimento contam atualmente com uma grande variedades de ferramentas para monitorar suas performances, algumas mais acessíveis e outras que usualmente só podem ser utilizadas em ambiente de laboratório, como no caso de exames de sangue.

Embora relativamente caros e pouco práticos de serem realizados com frequência, os exames de sangue fornecem importantes informações sobre como o corpo do atleta se adapta ao treinamento.

Com o intuito de facilitar a vida de treinadores e fisiologistas esportivos que a Cercacor, empresa de tecnologia baseada na Califórnia, apresentou esta semana seu mais novo produto, o Ember, um prático sistema portátil que analisa os níveis de hemoglobina no sangue, de forma rápida e não invasiva.

Ember

Anunciado esta semana por ocasião da Consumer Electronics Show (CES) feira que está sendo realizada na cidade norte-americana de Las Vegas, o Ember utiliza a tecnologia de ondas de luz pulsada para medir a concentração de hemoglobina, através de um sensor conectado a um monitor de LCD similar a um smartphone. Para utilizá-lo, basta encaixar o dedo do atleta no sensor e aguardar cerca de 90 segundos pelos resultados, que podem ser transmitidos via Bluetooth.

Ember

De acordo com Greg Olsen, diretor de design da Cercacor, o Ember oferece análises mais precisas que os equipamentos de oximetria de pulso, já que a oximetria apenas mede o grau de saturação de oxigênio no sangue, enquanto que exames de hemoglobina medem também o quanto de oxigênio pode ser transportado pelas células sanguíneas.

Uso prático – A prática de exercícios físicos afeta diretamente a concentração sanguínea, de acordo com o Dr. Vassilis Mougios, professor de bioquímica da Universidade de Thessaloniki, parceira da Cercacor no desenvolvimento do Ember. “A quantidade de oxigênio no sangue varia com base na intensidade e no volume do exercício, bem como na estrutura do treinamento. Desta forma, é possível monitorar a resposta do atleta ao treinamento através do exame de seu sangue”, explica.

Ember

Proteína existente no interior das hemácias e no plasma sanguíneo, a principal função da hemoglobina é o transporte de oxigênio aos músculos e órgãos do corpo. Desta forma, quanto maior a capacidade de transportar oxigênio, maior será a capacidade de resistência do atleta a exercícios de longa duração.

Benefícios – Provavelmente o maior benefício do novo equipamento é a sua facilidade de uso. Exames de sangue, até então condicionados à disponibilidade dos atletas, poderão ser realizados a qualquer hora ou dia, fornecendo informações de forma praticamente instantânea.

A unidade central de processamento fornece, através de um aplicativo específico, gráficos comparativos que permitem acompanhar o histórico fisiológico do atleta. “Utilizado diariamente, o Ember poderá fornecer uma incrível quantidade de informações relevantes para a melhora da performance do atleta”, diz Olsen.

Evolução no treinamento – Justamente por ser uma ferramenta nova, que fornece dados até então pouco utilizadas na rotina de treinos, o uso do Ember exigirá um nível de informação que poucos treinadores tem acesso hoje.

“Na medição que realizei hoje com o Ember antes da pedalada, a concentração de oxigênio foi de 14 (gramas por decilitro). Quando medi novamente, após o treino, o valor era de 15,2. O problema é que eu simplesmente não sei se os níveis foram alterado pela intensidade do exercício, desidratação ou sabe-se lá o quê”, diz Jarrod Shoemaker, triatleta profissional que tem utilizado a versão beta do Ember há cerca de um ano e que ainda está tentando adaptar o uso do aparelho a sua rotina de treinamento.

Custo e disponibilidade – Apresentado esta semana, o novo sistema de monitoramento sanguíneo Cercacor Ember deverá ser lançado oficialmente no primeiro semestre de 2016, ao custo de 500 dólares nos Estados Unidos. O preço inclui a unidade de processamento, um sensor de dedo, com capacidade para 5.000 medições, um cabo USB e um guia de uso, além do aplicativo para smartphone, no momento compatível apenas com o sistema operacional iOS (iPhone).

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização