1 de março de 2024

Crash test revela o perigo de transportar e-bikes em suportes de bicicletas comuns

Experimento realizado por empresa de seguros alemã demonstra que grande parte dos racks para bicicletas comercializados no mercado não foi projetada para suportar o peso extra das bicicletas elétricas

Muitos ciclistas utilizam suportes veiculares de bicicletas comuns para o transporte de bicicletas elétricas, sem levar em conta a questão do peso. Via de regra, as e-bikes são muito mais pesadas do que os modelos comuns. Isto se deve em grande parte ao motor, à bateria e à estrutura reforçada do quadro.

Recentes testes realizados pelo Centro de Tecnologia da Allianz (AZT), a maior empresa de seguros do mundo, mostram que grande parte dos racks para bicicletas comercializados no mercado atingem rapidamente seus limites quando utilizados em e-bikes e podem colocar em risco tanto as bicicletas em si, como também outros usuários, durante situações cotidianas de direção como desviar, frear ou transitar sobre irregularidades no asfalto.

A engenheira Melanie Kreutner coordenou o crash test da Allianz, que utilizou diversos tipos de suportes para bicicletas
A engenheira Melanie Kreutner coordenou o crash test da Allianz, que utilizou diversos tipos de suportes para bicicletas

Para demonstrar os riscos de se transportar uma bicicletas elétricas em suportes veiculares que não foram desenvolvidos especificamente para suportar o peso extra das e-bikes, a Allianz realizou um crash test onde três bicicletas elétricas, cada uma com o peso total de 26,8 quilos, foram colocadas em um suporte veicular projetado para carregar três bicicletas de 15 quilos cada, em um total de 45 quilos. Desta forma, o teste foi realizado com uma sobrecarga de 35,4 quilos.

Durante a simulação de uma manobra de desvio a 50 km/h, a lataria do carro amassou e seu farol traseiro foi quebrado pela bicicleta elétrica mais próxima. Além disso, o suporte entortou também a esfera do engate onde estava conectado.

Em uma segunda avaliação, onde o veículo transitou sobre lombadas, buracos e terra batida, a trava que prendia a bicicleta elétrica mais externa se soltou, deixando as rodas presas ao rack apenas pelos tirantes. Após este teste, o trajeto não pôde ser completado por motivos de segurança, já que o risco de uma das bicicletas ou do suporte inteiro se desprender do carro era muito alto.

De acordo com Melanie Kreutner, engenheira de pesquisa do Centro de Tecnologia Allianz, os suportes presos na barra de reboque são os mais adequados para o transporte de e-bikes, já que no caso dos racks de teto, há o risco das bicicletas se desprenderem e serem arremessadas.

De acordo com a Allianz, racks presos na barra de reboque são os mais adequados para transportar e-bikes, desde que a carga limite especificada pelo fabricante seja obedecida - Foto: Thule / Divulgação
De acordo com a Allianz, racks presos na barra de reboque são os mais adequados para transportar e-bikes, desde que a carga limite especificada pelo fabricante seja obedecida – Foto: Thule / Divulgação

A engenheira de pesquisa do AZT destaca a importância de se checar a carga máxima de cada barra do suporte e não apenas a carga máxima do equipamento, já que se a montagem individual for sobrecarregada ela acabará por romper-se e não conseguirá segurar a bicicleta.

Kreutner ressalta ainda a importância de se realizar paradas frequentes durante o trajeto para certificar de que todos os fechos do suporte continuam intactos.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização