24 de abril de 2024
O percurso desafiador foi elogiado pelos atletas e pela Federação Internacional - Foto: Alexandre Loureiro / Rio 2016

Atletas aprovam a pista do circuito de Mountain Bike das Olimpíadas Rio-2016

Competidores e dirigentes elogiam organização e trajeto, que superou as expectativas

O entusiasmo marcou o Desafio Internacional de Mountain Bike, realizado neste domingo (11), no Parque Radical, em Deodoro. Para atletas e dirigentes, a competição superou as expectativas.  “Estive bastante envolvido com os Jogos de Londres 2012 e achava difícil alguém superar o que foi feito lá, mas o que vi aqui  foi superior. Parabéns”, cumprimentou o coordenador da União Ciclística Internacional (UCI), Peter Van Den Abeele.

O dirigente disse que ficou bastante satisfeito com a interação entre o Comitê Organizador Rio 2016 e a equipe que projetou a construção da pista de 5,4km para os Jogos Olímpicos. “Só temos comentários positivos. Se for para mexer alguma coisa, talvez seja para ampliar um pouco a área de largada”. O gerente de competição de mountain bike do Rio 2016, Paul Davis, também estava feliz com a competição. “Os atletas adoraram a pista e eu não poderia pedir mais da equipe. Eles foram incríveis”. Segundo ele, o maior desafio no trabalho foi entregar o percurso a tempo, objetivo que foi alcançado com sucesso.

A pista de competição do mountain bike tem 5,4 quilômetros - Foto: Alexandre Loureiro / Rio 2016
A pista de competição do mountain bike tem 5,4 quilômetros – Foto: Alexandre Loureiro / Rio 2016

“Alguns ajustes são necessários como em qualquer evento-teste. Nossa operação está sempre procurando a perfeição, mas é o que vamos buscar nos acertos finais para que daqui dez meses possamos ter um evento do nível que tem de ser nos Jogos Olímpicos”, disse o diretor de Esportes do Rio 2016, Rodrigo Garcia.

Van Den Abeele não foi o único a dar parabéns. “A pista é boa, gostamos. Teremos de trabalhar duro até o ano que vem, mas tudo funcionou bem, estão de parabéns”, disse o italiano Andrea Tiberi, que terminou o evento-teste na terceira posição. O vencedor da prova, o suíço Nino Schurter (1h20min36), que é o atual campeão mundial, também se mostrou entusiasmado. “A pista é muito divertida de correr. Tive boas sensações a corrida toda. O maior desafio foi o calor. Foi realmente uma condição bastante dura”, relatou Schurter. O francês Maxime Marotte ficou na segunda posição.

A vencedora da prova feminina, a italiana Eva Lechner (1h20min13), só lamentou pelo forte calor. “Eu adorei o que vi hoje. O percurso é muito bom. A única coisa é que fez muito calor”.  Para a polonesa Maya Wloszczowska, vice-campeã, vai ser bom para os espectadores. “Em alguns lugares da pista dá para ver tudo o que está acontecendo”.

Os espectadores também ficaram entusiasmados. “A pista está muito bem construída. Foi muita emoção para o público presente”, disse o ciclista Amarildo Ferreira, que foi a Deodoro para apreciar a competição. O voluntário Sávio Felipe dos Santos também gostou da experiência. “Gostei da atenção das supervisoras e também, lógico, de poder ver os atletas”.

Fonte: Rio 2016

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização