25 de abril de 2024
Seleção Baiana - Foto: Wesley Kestrel / CBC

Bahia celebra seu primeiro título da Copa Norte-Nordeste de Ciclismo de Estrada

Terceiro ouro do baiano José Rômulo sela campanha histórica e inédita do estado no principal evento regional da temporada

A Bahia está em festa. Pela primeira vez em 38 edições da tradicional Copa Norte-Nordeste de Ciclismo de Estrada, o time baiano levantou a taça de campeão na classificação geral. Após três dias de muita competição em Teresina (PI), foram 11 ouros, 6 pratas e 2 bronzes (100 pontos). O vice-campeonato foi para a seleção do Sergipe, que somou 4 ouros, 7 pratas e 3 bronzes (60 pontos), seguida pelo time cearense, com 5 ouros, 3 pratas e 5 bronzes (54 pontos).

“Esse resultado é fruto de um trabalho árduo e uma superação constante de nossos atletas. O ciclismo baiano tem evoluído bastante e esse título marca o início de uma nova história. Que esse campeonato motive ainda mais todos os atletas a alcançarem metas ainda mais ousadas”, ressaltou o presidente da Federação Baiana de Ciclismo (FBC), Orlando Schimidt Jr.

Chegada da Elite - Foto: Wesley Kestrel / CBC
Chegada da Elite – Foto: Wesley Kestrel / CBC

José Rômulo Freitas Junior, que neste domingo (23) conquistou sua terceira medalha de ouro na categoria elite, foi um dos principais personagens da campanha histórica da seleção baiana. Na prova de circuito, realizada no complexo turístico da Ponte Estaiada, o baiano manteve a regularidade dos dois últimos dias, mostrando muita personalidade e controle para superar todo o desgaste das provas anteriores, além do calor intenso e forte que foi marcante em toda competição. Com um percurso curto e rápido de 4,2km por volta, a definição veio na linha de chegada, com José Rômulo fechando a prova em 46min13s198, apenas milésimos de segundo à frente do norte riograndense Arthur Maxwell, segundo colocado (42min13s325), e do paraense Diego Cesar, terceiro (46min13s492).

“A pior parte é realmente o final. Todos cansados, o sol esquenta mais, tem a desidratação por conta do calor, e todo pelotão está tenso e arisco. Nem eu esperava isso tudo, a Bahia também entrou para a história. O ouro não foi só meu, foi de todos e agora é comemorar muito”, disse o tricampeão.

Quem também mostrou estar em boa fase foi Tatiele Valadares, na Elite Feminina. Após vencer a prova de resistência no sábado, a atleta conquistou seu segundo ouro na competição na prova de circuito (32min26s063), ajudando a equipe de Roraima a se garantir no top 10 da competição. Completaram o pódio as duas atletas do time amapaense Brenda Simões (32min26s963) e Odilene Chucre (32min27s473), prata e bronze, respectivamente.

Tatiele Valadares - Foto: Wesley Kestrel / CBC
Tatiele Valadares – Foto: Wesley Kestrel / CBC

“Estou muito feliz por conquistar mais uma vitória para o meu estado. Hoje foi uma prova curta, rápida e que exigiu muita explosão. Essa prova é uma especialidade minha e como a decisão ficou para o final, arranquei forte e consegui a vitória. Gostaria de agradecer a oportunidade de mais uma vez estar representando o estado de Roraima e dedico esse título para minha mãe, minha maior incentivadora”, contou a atleta.

Nova geração mostra potencial – Os jovens ciclistas dos 16 estados fizeram um show à parte na competição, com disputas bem equilibradas e mostrando grande potencial para ser explorado nas categorias de base. O sergipano Brendo Morais, que havia vencido a prova de contra-relógio, subiu ao pódio novamente na categoria Juvenil, cruzando a linha de chegada em 29min04s496. O baiano Patricson Emanuel ficou com o segundo lugar (29min04s596), seguido pelo paraense Vitor Firmino (29min04s658), terceiro. Na Junior, segundo ouro também para o piauiense Thiago Tarsom (42min12s829), com o cearense Elizeu Moura na segunda posição (42min13s013) e o paraense Jonathan da Silva em terceiro (42min14s773).

Chegada da Juvenil - Foto: Wesley Kestrel / CBC
Chegada da Juvenil – Foto: Wesley Kestrel / CBC

Alagoano é o destaque da Masters  – Com três ouros nas provas de contra-relógio, resistência e circuito da categoria Master A2, o alagoano Ademilson dos Santos, foi o grande destaque entre os ciclistas mais experientes.

“Muito duro e muito treinamento, mas vale a pena, esse esporte é assim, tem que fazer seu máximo. Novamente o sol estava forte e a temperatura muito alta, mas o percurso ajuda a selecionar os melhores. A copa Norte Nordeste está melhorando a cada ano, a CBC está de parabéns por proporcionar essa estrutura. Espero que eu continue levando sempre muitos ouros para o meu estado, é sempre uma satisfação muito grande poder representar Alagoas em mais uma grande competição”, contou Ademilson.

Outra delegação que também vibrou muito neste domingo foi o time cearense com Esio Florencio faturando seu segundo ouro na categoria veterano (15min26s876), assim como Jardel Silva que foi pela segunda vez ao topo do pódio na Master A1 (42min08s522). Na B2, vitória do sergipano Pedro Silva (31min02s926), que também foi primeiro na prova de resistência no dia anterior. Valfredo Demaceno da seleção maranhense foi o vencedor na Master C1 (23min25s159). O baiano Jaime de Souza conquistou mais um ouro para seu estado na Master B1 (28min08s949) e Antonio Cunha levou o primeiro ouro para a seleção do Amazonas na Master C2 (24min57s736).

Quadro geral de medalhas – Com Bahia, Sergipe e Ceará no pódio, a seleção piauiense se garantiu na quarta colocação geral, com 3 ouros e 5 pratas (38 pontos), seguida de perto pelo time amapaense, que somou 1 ouro, 5 pratas e 4 bronzes (36 pontos), enquanto a equipe do Pará, finalizou esse ano com 2 ouros, 1 prata e 7 bronzes (32 pontos). A sétima posição ficou com o Rio Grande do Norte, que alcançou 4 pratas e 2 bronzes (24 pontos), o oitavo lugar foi para a seleção alagoana, dona de 3 ouros (18 pontos), enquanto Roraima terminou na nona colocação, com 2 ouros e 2 bronzes (16 pontos). O Amazonas encerrou sua participação com um 10º lugar, 1 ouro, 1 prata e 3 bronzes (16 pontos), seguido pelo time maranhense, 11º colocado, com 1 ouro, 1 prata e 2 bronzes (14 pontos) e pela equipe tocantinense, que conquistou 3 bronzes (6 pontos). As seleções pernambucana, acreana e rondonense não pontuaram.

“As 16 seleções estão de parabéns pois proporcionaram um grande espetáculo para todo o público de Teresina. Esses quase 300 atletas mostraram o quanto o ciclismo do norte e nordeste está crescendo e certamente tem tudo para trazer muitas alegrias para a modalidade, tanto à nível nacional como internacional, assim como já vêm acontecendo. O estado do Piauí está se consolidando como uma das principais referências da região na organização de eventos e esperamos trazer cada vez mais eventos de alto nível para fomentar ainda mais o nosso ciclismo”, finalizou George Augusto, presidente da Federação de Ciclismo do Piauí.

Fonte: Confederação Brasileira de Ciclismo

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização