22 de abril de 2024
Isabella Lacerda - Foto: Divulgação

Isabella Lacerda é a melhor sul-americana na penúltima etapa da Copa do Mundo de XCO

Com 22ª colocação na elite, Isabella conquista melhor resultado da carreira e 62 pontos no ranking mundial

A mineira Isabella Lacerda (LM/Shimano) terminou o domingo de Dia dos Pais (9) com motivos de sobra para comemorar. Na etapa norte-americana da Copa do Mundo de XCO, em Windham, Estados Unidos, Isabella conquistou o posto de melhor atleta sul-americana na elite feminina, terminando a competição na 22ª colocação, cerca de oito minutos atrás da francesa Pauline Ferrand-Prévot, campeã. Com o resultado, o melhor da carreira em uma Copa do Mundo, a ciclista somou 62 pontos no ranking mundial e deu mais um importante passo na briga por uma vaga no Rio 2016.

“Andei perto de ícones do esporte e, quando ultrapassei a atual campeã mundial, Catherine Pendrel, foi inexplicável. Tenho plena consciência de que ela não estava em um bom dia, mas foi demais”, afirmou Isabella, ainda sentindo as dores por um acidente sofrido nos últimos instantes da prova.

“A 100 metros da linha de chegada, uma holandesa tentou me ultrapassar, bateu no guidão da minha bike e nós duas caímos. A queda foi muito forte e me fez imaginar a possibilidade de não conseguir terminar a prova, mas ouvi alguns gritos de incentivo, subi na bicicleta e cruzei a linha de chegada, com uma dor insuportável no peito e muita falta de ar. Logo em seguida, foi levada para o hospital, e a suspeita é de fratura em uma costela e no osso esterno”, complementou.

Para obter a significativa colocação, Isabella contou com um upgrade. Pela primeira vez, o sistema eletrônico de mudança de marchas XTR Di2 foi utilizado na bicicleta de Isabella, ciclista número 2 do Brasil (31ª no ranking mundial).

Outro a ficar satisfeito com o desempenho em solo norte-americano foi o catarinense Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano), brasileiro mais bem colocado na Elite Masculina. Com o 50º lugar, ganhou 18 pontos no ranking mundial. O suíço Nino Schurter foi o campeão.

Ricardo Pscheidt - Foto: Arquivo / Divulgação
Ricardo Pscheidt – Foto: Arquivo / Divulgação

“Estava muito quente e seco, a pista tinha muitas pedras e bastante pó solto nas descidas, além de uma longa subida. Consegui manter um ritmo constante e ganhar algumas posições durante a prova”, relatou Pscheidt.

O mineiro Guilherme Müller (LM/Shimano) completou a sub-23 como o melhor brasileiro, em 29º. Já Sherman Trezza, também de Minas Gerais, ficou em 66º na elite, conseguindo três pontos UCI por ter cruzado a linha de chegada

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização