23 de abril de 2024
Andinho acabou na quarta posição - Foto: Usabmx.com

Andinho e Priscilla colocam o Brasil entre os quatro melhores no BMX do Pan de Toronto

Equipe Brasileira de BMX se consolida na elite das Américas. Ciclismo volta a competir neste domingo com os atletas do Mountain Bike

A Seleção Brasileira de BMX cumpriu sua meta e consolidou o país entre os quatro melhores do continente. Neste sábado (11), Anderson Ezequiel, o ‘Andinho’, e Priscila Carnaval conquistaram o quarto lugar na classificação final da prova de BMX Racing dos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015.

“Gostei muito do meu desempenho, foi uma experiência muito grande. Me preparei bastante, dei meu máximo e quase eu e a Priscila conseguimos uma medalha. Vamos seguir trabalhando pois estamos no caminho certo”, contou Anderson Ezequiel.

As finais tiveram nível olímpico, com grandes nomes do esporte figurando nas raias. Na disputa feminina, as primeiras colocadas chegaram a se tocar diversas vezes, em uma disputa acirrada do início ao fim. Priscilla Stevaux conquistou a quarta colocação, ficando atrás da campeã Felicia Stancil, dos Estados Unidos, da equatoriana Domenica Azuero, medalha de prata, e da argentina Mariana Diaz, bronze.

Andinho e Priscilla - Foto: CBC / Divulgação
Andinho e Priscilla – Foto: CBC / Divulgação

“A prova foi rápida e temos muito pouco tempo para pensar. Talvez pudesse ter ido até melhor e conquistado uma medalha, mas acabei escolhendo um traçado diferente que me prejudicou um pouco. De qualquer maneira estou feliz por conseguir chegar a final e lutar de igual para igual contra as melhores atletas do nosso continente”, declarou Priscilla.

No masculino, a vitória ficou com o piloto canadense Tory Nyhaug, vencedor também do Time Trial, disputado na sexta (10). A medalha de prata foi conquistada pelo equatoriano Alfredo Campo, e o bronze pelo colombiano Carlos Yepes, que foi desclassificado e perdeu a medalha para o americano Nicholas Long.

Para o técnico da equipe de BMX, Daniel Jorge, a participação brasileira foi bastante positiva e vem seguindo o planejamento esperado rumo aos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.

“Tivemos ótimos resultados, considerando o alto nível dos 24 competidores presentes. A Priscila poderia até ter conseguido a medalha, as meninas se tocaram várias vezes no percurso e a disputa foi definida nos detalhes. O Anderson andou bem e mereceu ficar no Top 5. Já Renato Rezende e Thaynara Morosini chegaram até as semifinais, mas não conseguiram seguir as finais, são coisas do BMX. Os Jogos Pan-Americanos são assim mesmo, uma competição extremamente competitiva e forte”, comentou Daniel.

Imprevisto – Renato Rezende realizou uma etapa classificatória bastante expressiva, chegando a vencer duas fases e ficar em segundo em outra durante a melhor de três das quartas de final. Renato se classificou em primeiro lugar para as semifinais, mas infelizmente, devido a circunstancias da prova, não conseguiu entrar na zona de classificação e ficou fora da grande final. Thaynara Morosini também chegou a avançar até as semifinais.

A equipe brasileira de ciclismo volta a competir neste domingo, 12 de julho, disputando a prova de Mountain Bike XCO. Os atletas que estarão representando o Brasil são: Rubens Donizete, Luiz Henrique Cocuzzi, Isabella Lacerda e Raiza Goulão. O técnico é Carlos Polazzo e o mecânico Evandro Oliveira.

Fonte: Confederação Brasileira de Ciclismo

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização