22 de abril de 2024

Prova feminina da UCI é acusada de sexismo por premiar atleta com aspirador de pó

Competição feminina realizada na Holanda e válida pela UCI Women’s Road World Cup é acusada de machismo por oferecer eletrodoméstico como prêmio pelo primeiro lugar

A ciclista Jolien d’Hoore, da equipe Wiggle Honda, conquistou no último dia 14 a maior vitória de sua carreira, ao vencer a 9ª edição da Ronde van Drenthe World Cup, prova realizada na Holanda e que faz parte do calendário oficial da Copa do Mundo de Ciclismo de Estrada Feminino da UCI (União Ciclística Internacional).

Ao final da prova de 138,3 quilômetros, a atleta subiu ao ao topo do pódio para receber seu troféu e uma premiação nada usual: um aspirador de pó da marca Samsung.

A premiação, que criou espanto geral e indignação entre vários presentes, foi taxada de sexista pela imprensa especializada.

“Um aspirador de pó como prêmio, é algum tipo de piada?”, escreveu Heather Irvine, editora do site Total Women’s Cycling.

Em sua defesa, os organizadores da prova alegam que a premiação deve-se ao seu principal patrocinador, a gigante dos eletrônicos Samsung, que sempre escolhe como prêmio seus novos lançamentos, para atrair visibilidade.

Este critério mostra-se um tanto quanto falho: no ano passado, um dos competidores da categoria masculina foi premiado com uma prancha alisadora de cabelos!

Seja como for, parece para muitos inconcebível que uma atleta profissional que passa a maior parte de seu tempo treinando duro sobre uma bicicleta receba um prêmio de tão baixo valor.

Jolien d’Hoore parece ter a mesma linha de raciocínio. Após receber o aspirador de pó, a atleta o repassou à sua companheira de equipe Chloe Hosking que, aparentemente ficou muito feliz com o presente, a ponto de publicar sua foto no Twitter:


error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização