12 de abril de 2024

A importância do burn-in em freios a disco para bicicletas

Entenda porque o procedimento de ‘queima’ deve ser utilizado em freios novos, ou após cada substituição de pastilhas ou rotor

Entre as grandes inovações tecnológicas que revolucionaram a prática do mountain bike, os freios a disco, sejam hidráulicos ou mecânicos, merecem um lugar de destaque. Afinal, freios mais eficientes e moduláveis significa uma condução mais precisa, segura e confortável.

Embora os freios a disco sejam infinitamente mais potentes que os freios de aro (v-brakes, cantilevers etc.), sua performance plena só ocorre após um determinado período de uso.

Isto ocorre porque, com a utilização, as pastilhas e o rotor vão se moldando entre si, proporcionando uma maior superfície de contato. Além disso, durante o acionamento dos freios ocorre uma transferência, por calor e contato, de partículas das pastilhas para a superfície do rotor, o que aumenta o atrito destes componentes e por consequência o poder de frenagem.

O procedimento de burn-in deve ser utilizado sempre que as pastilhas ou rotor sejam novos ou forem substituídos
O procedimento de burn-in deve ser utilizado sempre que as pastilhas ou rotor sejam novos ou forem substituídos

Esta é a razão pela qual freios novos ou com pastilhas e/ou rotores recém trocados não rendem tão bem no início.

Para otimizar a potência dos freios e evitar problemas de segurança, é recomendado um procedimento denominado ‘queima’ ou burn-in.

O procedimento de burn-in deve ser utilizado sempre:

  • Em bicicletas novas;
  • Ao se instalar um novo conjunto de freios;
  • Após a substituição das pastilhas;
  • Após a troca do rotor (disco).

A correta operação de queima irá assegurar que que os freios estejam prontos para atuar com o máximo de eficiência quando forem necessários. Para garantir a máxima segurança, o procedimento deverá ser realizado antes do ciclista se aventurar em trilhas.

Um procedimento de burn-in mal feito pode causar o superaquecimento ou contaminação das pastilhas, danificando sua superfície e até mesmo a do rotor. Entre os sintomas de um burn-in mal realizado estão:

  • Ruído excessivo durante a frenagem;
  • Aparência vitrificada ou brilhante da superfície das pastilhas;
  • Falta de potência do freio;
  • Falta de modulação.

Procedimento de burn-in

O procedimento de queima deverá ser realizado em uma superfície asfaltada ou concretada, preferencialmente plana, sem a presença agentes contaminantes externos como lama, água e terra. Um estacionamento vazio é uma boa opção.

Utilize um terreno asfaltado ou com piso de cimento, livre de agentes contaminantes
Utilize um terreno asfaltado ou com piso de cimento, livre de agentes contaminantes

Comece com um freio de cada vez, começando pelo freio dianteiro. Esta é a melhor forma de observar como cada freio está funcionando.

Acelere com a bicicleta e em seguida pressione a manete do freio gradativamente até que a bicicleta quase pare. Evite a qualquer custo travar a roda, pois isto poderá fazer com que as partículas das pastilhas sejam aderidas de forma desigual na superfície do rotor, o que poderá causar uma modulação irregular do freio.

Repita a operação por cerca de 10 vezes em cada freio. Com as seguidas frenagens, o ciclista será capaz de perceber claramente um aumento na eficiência nos freios.

Pronto!!! Agora sua bicicleta está pronta para encarar as trilhas!

Burn-in

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização