23 de abril de 2024
Nataniel Giacomozzi - Foto: Divulgação / Brasil Enduro Series

Campeões do Brasil Enduro Series prontos para defender título nacional

Temporada de 2015 da competição pioneira de Enduro MTB começa neste final de semana (27/2 a 1º/3) em Nova Lima, Minas Gerais

A segunda edição do Brasil Enduro Series, competição pioneira da modalidade no País, começa nesta semana com a participação de 200 inscritos em um tempo recorde, apenas dez dias. Para oito pilotos, a primeira de quatro etapas do BES deste ano, em Nova Lima (MG), entre os dias 27 de fevereiro e 1º de março, será o início de uma árdua tarefa: manter-se no topo de suas categorias, defendendo o título de atuais campeões brasileiros.

Detêm o posto de campeões nacionais, Nataniel Giacomozzi (pro), Luiz Felipe Viani (expert), Beatriz Ferragi (feminino), Jonas Ziel (amador) e Robert Marent (sênior), além dos pilotos masters 1, 2 e 3, Andre Melo De Matos, Gustavo Henrique De Amorim e Helio Nassaralla, respectivamente. O catarinense Nataniel não quer levar para a trilha a pressão do título de 2014. “Penso que a galera vai querer fazer de tudo para me superar, por isso estou treinando mais forte a cada dia. Aumenta a responsabilidade, mas não gosto de pensar por este lado. Se você está forte e tecnicamente rápido, ninguém te pega”.

A campeão feminina também se diz pronta para a abertura da temporada. “Sinto que estou cada vez mais bem preparada. Estou recuperada de duas lesões que sofri em janeiro e que atrapalharam um pouco meus planos, mas a técnica é uma bagagem que se adquire com anos de dedicação”, revela a paulistana Bia Ferragi.

Atual campeão da máster 1, o mineiro André Melo acredita que disputar a etapa em casa será um diferencial, e já projeta a primeira prova internacional do BES, em Pomerode, válida pelo circuito Latino-Americano. “Estamos muito ansiosos para a realização do evento aqui em Minas. Com certeza daremos muito trabalho correndo em terrenos que estamos mais habituados”, avalia o atleta, que passará para a máster 2 este ano. “O bacana do Enduro é poder nos descontrair nos deslocamentos ao bater um bom papo com os amigos. A etapa internacional vai ser demais, porque teremos a oportunidade de dividir experiências com os gringos e difundir ainda mais o esporte”, conclui.

Entre todos os campeões, Helinho é quem possui mais intimidade com o local da prova. “Moro a 400 metrôs da largada, aqui em Nova Lima. Posso garantir que vai ser uma etapa muito legal e diferente do que os pilotos de outros estados estão acostumados. A maior parte do terreno é sobre minério de ferro. Independentemente da trilha, o piso é bem granulado. As vezes torna-se maciço, o que chamamos de ‘choquito’, com o minério preso ao solo. Na parte mais difícil, quando as pedrinhas se soltam, formam um tipo de areia bem pesada”, destaca Nassaralla.

Helinho chama a atenção para um fato. Foi o único a conquistar o título em 2014 sem ganhar nenhuma das três etapas. “Quando me inscrevi, coloquei como meta ser campeão, sem me importar com os resultados das etapas. Ao longo do tempo aprendi que o que vale é o título”, garante o piloto de 47 anos, que optou por apostar em nova bike nesta temporada. “Ano passado competi com uma aro 29, a Enduro S-Works. Neste ano, troquei de bike e vou com a mesma Specialized, porém, aro 27,5. Os principais campeões mundiais usaram a 27,5 ano passado. Estou pagando para ver”, completa.

Helinho Nassaralla - Foto: Jonatha Jünge / Brasil Enduro Series
Helinho Nassaralla – Foto: Jonatha Jünge / Brasil Enduro Series

Fomento ao ciclismo feminino – Assim como na etapa que encerrou a temporada 2014, em Campos do Jordão (SP), dez mulheres estão inscritas para a abertura do circuito, em Nova Lima. Esse número anima até quem deveria se preocupar com uma possível ameaça ao seu reinado. “É maravilhoso ter essa quantidade de inscritos já na primeira prova do ano”, comemora Bia Ferragi.

“O Enduro é sempre divertido e gratificante. Atrai as mulheres. O sucesso na prova depende também de fatores externos, como pneus eventualmente furados, troca de marchas na hora errada, sair da rota ou uma pedra no caminho. Mas como o tempo individual é o que conta, a competição fica mais solidária. Fiz boas amigas nas últimas etapas e dessa vez não será diferente”, conclui Bia.

Após a abertura em Nova Lima, a segunda etapa, contando pontos para o ranking do BES e também para o Monten Baik Enduro Latam Series, será de 17 a 21 de junho, em Pomerode. Em agosto, nos dias 15 e 16, Urubici (SC) volta a receber a competição, assim como Itaipava (RJ), que encerrará a temporada nos dias 31 de outubro e 1º de novembro.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização