15 de junho de 2024

Yamaha entra no mercado de motores para e-bikes

Referência no mercado mundial de motociclismo, a gigante japonesa Yamaha pretende entrar com todo seu poder de fogo no mercado de motores para bicicletas elétricas, as chamadas e-bikes e brigar por um espaço atualmente dominado pela suas concorrentes diretas, Bosch e Panasonic.

Após o lançamento, neste ano, de um modelo de motor elétrico desenvolvido especialmente para as bicicletas Full-E da marca Giant, a Yamaha anuncia o lançamento da nova linha de motores PW Series que, segundo  o fabricante, pode ser utilizado em qualquer modelo de bicicleta, seja ela mountain bike, estrada ou de passeio.

A Giant Full-E foi um dos primeiros modelos a utilizar motores elétricos da Yamaha
A Giant Full-E foi um dos primeiros modelos a utilizar motores elétricos da Yamaha

A chave para a versatilidade dos motores PW Series está em sua nova bateria de lítio-íon de última geração, capaz de mair autonomia e menor peso se comparadas às atuais similares no mercado. A bateria trabalha sob uma tensão nominal de 36 volts por 400Wh e, pesando apenas 2,9kg, pode ser totalmente recarregada em uma tomada de parede comum em 3,5 horas.

O motor fica instalado no lugar do movimento central
O motor fica instalado no lugar do movimento central

Ao contrário dos modelos que utilizam motor instalado em uma das rodas, o PW é instalado no lugar da caixa de centro da bicicleta. isto permite uma melhor distribuição do peso na bicicleta, aumentando assim sua dirigibilidade. Esse motor, com potência de 250w (dentro da regulamentação do Contran sobre e-bikes), atinge um torque máximo de até 80Nm e pesa 3,5kg (sem o pedivela).

Ao desenvolver a nova série PW, a Yamaha partiu da premissa de que a última coisa que um ciclista pode querer é complicação. O controle do sistema é realizado por meio de um painel LCD instalado no guidão da bicicleta e um controle remoto, montado próximo a manopla, para facilitar sua operação sem que o ciclista precise tirar as mãos da mesma.

Um sensor de tripla função, localizado na unidade principal, monitora constantemente o torque aplicado ao pedivela, a velocidade da bicicleta e a rotação das rodas para determinar o melhor nível de assistência ao ciclista, aumentando assim a autonomia e permitindo uma pedalada mais eficiente e suave.

Painel LCD e controle remoto do sistema
Painel LCD e controle remoto do sistema

Através do painel, é possível escolher um dos 4 modos de condução, priorizando assim a performance ou a autonomia. No modo High, o motor assiste o ciclista permanentemente, uma boa opção em situações de subidas íngremes. No modo Standard (STD) o sistema oferece um equilíbrio entre performance e autonomia, perfeito para utilização no dia a dia.

No modo Econômico (ECO), recomendado em estradas pavimentadas, reduz a assistência elétrica para garantir uma maior autonomia. Já no modo OFF, o motor é completamente cortado, e a tração fica totalmente dependente das pernas do ciclista.

Mercado crescente – Embora muitos ciclistas torçam seus narizes para as chamadas e-bikes, na Europa seu mercado encontra-se em franca expansão, com mais de 850 mil bicicletas vendidas em 2012 (deste número, quase metade encontra-se na Alemanha e na Holanda). De olho nesta rentável fatia de mercado, a Yamaha está aumentando o número de parcerias com fabricantes de bicicletas para fornecer os novos motores PW como item de série de suas linhas de e-bikes. Com isto, a marca japonesa pretende aumentar a cifra em 100 mil unidades já a partir de 2015.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização