21 de abril de 2024

Comércio de NY registra aumento nas vendas após instalação de ciclovia

Aumento nas vendas do comércio local chega a ordem de 49% em algumas áreas de Manhattan

Contrariando aqueles que argumentam que a implantação de ciclovias poderia levar o comércio à falência, o bairro mais populoso da cidade de Nova YorkManhattan, registrou um impressionante aumento nas vendas após a implementação de ciclovias na região.

A região situada entre a 8ª Avenida e a 9ª Avenida registrou um aumento nas vendas do comércio local na ordem de 49%. Este índice, não apenas contraria os argumentos de que a instalação de ciclovias em detrimento a vagas para carros levaria necessariamente a uma queda nas vendas, mas também superou a expectativa do mais otimista dos adeptos da bicicleta. Nas demais áreas do bairro, onde as ciclovias ainda não chegaram, o crescimento foi na ordem de 3%.

Esta é a conclusão do estudo Measuring the Street: New Metrics for 21st Century Streets, elaborado pelo Departamento de Transportes de Nova York.

De acordo com o estudo, os ciclistas são mais predispostos a pararem nas lojas do que os motoristas, que precisam antes encontrar um local para estacionar. Este comportamento não ocorre apenas em Nova York, já que outras cidades dos Estados Unidos que aderiram às ciclovias tem registrado aumentos similares nas vendas do comércio local. A cidade de Boston, Massachusetts, tem registrado aumentos consecutivos nas vendas, desde que implantou suas ciclovias, em 2011.

Outro dado impressionante do estudo revela que, em Manhahttan, houve uma queda de até 58% no número de feridos devido a acidantes de trânsito após instalação das ciclovias.

Em nova York, mesmo com grande resistência inicial da população, o prefeito Michael Bloomberg implementou uma rede de 700 km de ciclovias na cidade, além de restringir os automóveis em algumas vias.

Gráfico

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização