25 de abril de 2024

Nataniel Giacomozzi vence em casa e assume liderança do Shimano Brasil Enduro Series

 

Nataniel Giacomozzi

Piloto de Santa Catarina é campeão da 2ª etapa do Shimano BES em Urubici e dedica título ao pai, que acompanhou a prova na cidade

Quando concluiu a abertura do Shimano Brasil Enduro Series em Itaipava (RJ) na segunda colocação, o piloto Nataniel Giacomozzi (HUPI Bikes/Santa Cruz) prometeu que para a prova seguinte, em sua “casa”, treinaria o máximo para buscar o título. Neste domingo (10), Dia dos Pais, o tetracampeão brasileiro de Downhill, de 29 anos, confirmou a promessa e garantiu para Santa Catarina não só o título da etapa, mas a liderança da categoria Pro no Shimano BES, com o tempo de 17min17. A decisão do campeonato ficará para o Estado de São Paulo, nos dias 2 e 3 de novembro.

Ao saber que era o campeão da etapa, Nataniel prontamente dedicou o título ao maior incentivador de sua carreira, seu pai Salvio Giacomozzi. “Estou feliz demais de ganhar em casa, no meu estado. Porém, o que mais me deixou realizado foi ganhar no Dia dos Pais. Ele está aqui hoje e minha grande felicidade é dedicar este presente para ele. Porque é um cara que me acompanha sempre, esse primeiro lugar aqui é para ele”, ofereceu Nata, como é conhecido. “Qualquer pessoa homenageada com um presente fica feliz. Acompanho o trabalho do meu filho desde que ele começou a pedalar. Ficou emocionado ao vê-lo colher os frutos de uma dedicação intensa. Ele sempre terá o apoio da família. Presente melhor não existe”, destacou Salvio.

Pódio da categoria Pro - Foto: Alex Okazaki / Shimano
Pódio da categoria Pro – Foto: Alex Okazaki / Shimano

Completaram o pódio o vice-campeão da etapa e do campeonato, Ronny Renke (Soul Cycles/Shimano), além de Thiago Velardi (Bike Tech Jardins), Thiago Boaretto (Viper) e Diego Neumann (Da Bomb), nas colocações seguintes. “Na primeira etapa eu tinha acabado de pegar minha bike. Em seguida treinei muito e ganhei afinidade. Acho que o conjunto faz a diferença. O atleta tem que estar bem, com um equipamento bom; pneu certo, com calibragem certa”, avaliou o vencedor. “Terei de acelerar na próxima etapa porque é uma prova individual. Completo cada estágio sem ter ideia de como meus rivais foram. Seria incrível ser o primeiro campeão nacional de Enduro. É o meu sonho. Treino para isso e quero ficar para a história do MTB”, concluiu.

Na Expert, o gaúcho Rafael Pereira (Bike & Adventure) superou os favoritos e venceu logo em sua primeira prova de Enduro Mountain Bike. “Vim da vertente do Downhill. Foi uma prova muito diferente daquelas que estou acostumado, com deslocamentos longos. Tentei dosar bem o ritmo nas três especiais. Não caí e forcei nos momentos certos. Andei bem e agora sou campeão de Urubici. Estou feliz demais e vou me programar para a próxima etapa”, vibrou. “Venho treinando direto há oito meses. Nas especiais foram três provas dentro da mesma competição. Gostei mais da segunda (E2), com o rock garden (trecho de pedras), que me agrada muito porque estou mais acostumado”, completou.

Nas outras categorias não faltaram emoções. Em três delas os campeões repetiram o triunfo de Itaipava: Gustavo Henrique (Inter Trilhas) na Máster 2, com 19min37, Robert Marent (Santinha Bike Bros) na Sênior, 15min53, e Bia Ferragi (Viper) na Feminina, 31min07. Nas Másters 1 e 3, Felipe Bortoletti (Morro Abaixo) e Normando Pereira foram os campeões, com 19min09 e 20min37, respectivamente. Na Amador, Maurício Bernardi (Alutech Cycles/German Bikes) levou a melhor, encerrando a prova em 14min16.

Trilha em Urubici

Balanço positivo – Após o término da etapa intermediária do Shimano BES, a organização comemorou os resultados obtidos. “O maior ponto positivo de Urubici foi a localização e a maneira como posicionamos o QG (área de serviço neutro e exposição), as especiais e os deslocamentos. Optamos por fazer tudo em um único morro, do Parapente, o que facilitou para os organizadores e também para os atletas, na locomoção e na utilização do serviço neutro caso tivessem problemas mecânicos”, destacou Daniel Bender, responsável pelo evento.

“Outro ponto positivo foi a escolha dos trechos cronometrados (especiais), por se tratar de trilhas nunca antes percorridas por bikes. Aproveitamos o caminho dos bois nas fazendas e o que de melhor tinha em cada terreno das especiais. Agradeço ao secretário de Turismo local, Paulo Nunes e a todos os donos de terrenos por onde a prova passou”, completou.

Novo sistema de cronometragem – Em seu primeiro ano de realização, a organização do Shimano Brasil Enduro Series vem trabalhando para ter uma eficácia cada vez maior na cronometragem da prova, que adotou um novo sistema em Urubici. “Foi um investimento alto neste sistema de cronometragem feito pela organização, que nos permite divulgar os resultados assim que a prova termina. Mesmo assim preferimos conferir tudo manualmente, duas vezes antes da divulgação, para se evitar reclamações e possíveis recursos. Estamos no caminho certo e esperamos ter inovações na etapa decisiva, em novembro”, comemorou Bender.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização