29 de fevereiro de 2024
As bikes terão o papel de contribuir para redução de CO2 no arquipélago - Foto: Ana Clara Marinho / Viver Noronha

Fernando de Noronha recebe 25 bicicletas elétricas para compartilhamento

As bikes terão o papel de contribuir para redução de CO2 no arquipélago - Foto: Ana Clara Marinho / Viver Noronha
As bikes terão o papel de contribuir para redução de CO2 no arquipélago – Foto: Ana Clara Marinho / Viver Noronha

Moradores e turistas do Arquipélago de Fernando de Noronha passaram a contar, na última semana, com 25 bicicletas elétricas de aluguel. Até o fim de 2014, 50 unidades deverão ser disponibilizadas pelo Plano Noronha Carbono Neutro, lançado no ano passado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em parceria com a iniciativa privada e ONGs. Também na quinta-feira, 17 de julho, a Celpe inaugurou a primeira Usina Solar na ilha.

Nova alternativa de mobilidade, as bikes terão o papel de contribuir para redução de CO2 no arquipélago. As bicicletas elétricas serão distribuídas em três pontos: Boldró, Sueste e Sancho. Com velocidade máxima de 25km/h e autonomia de 60km, o modelo TM 261 250W doado pela Shineray possui freios dianteiro e traseiro a disco.

Com design de linhas modernas com toques retrô, ele precisa de quatro a seis horas para recarregar a bateria. O peso é de 25,5 kg e a bicicleta suporta uma carga de até 100 kg, sendo ideal para passeios ou esportes, pela quantidade de marchas.

Inicialmente o uso poderá ser feito via aluguel, sendo cobrada uma diária por pessoa, até que seja concluída a tecnologia para implantação do sistema de compartilhamento, com prazo previsto para o final do ano. A partir de então, será aplicado o modelo de compartilhamento semelhante ao que já existe em outras cidades brasileiras.

O Plano Noronha Carbono-Neutro pretende transformar a ilha de Fernando de Noronha no primeiro território a reduzir e compensar as emissões de gases no Brasil, sendo referência de novas tecnologias sustentáveis. O planejamento foi pensado com base no inventário de emissões realizado pelo governo do Estado em parceria com a Fundação Ondazul e Fundação Brasileira de Desenvolvimento Sustentável.

A expectativa é de que além da implantação do uso de bikes elétricas e do investimento em energia limpa, outras ações sustentáveis agreguem valor ao Noronha Carbono Neutro

Principais emissores – O estudo aponta o transporte aéreo como o grande emissor de CO2, representando 54,74% do total de 35.669,46 tCO2e (toneladas de CO2 equivalentes emitidas em 2012). Em seguida, aparece a geração de energia elétrica, representando 29,21% e o transporte interno, com 8,73%.

ElátricasCom uma população media de 4.000 pessoas, incluindo a permanência de turistas, a emissão per capita de Fernando de Noronha é de 8,92 tCO2e (toneladas de CO2 equivalentes), cerca de quatro vezes a do Brasil, que é 2,2 tCO2e. A expectativa é de que além da implantação do uso de bikes elétricas e do investimento em energia limpa, outras ações sustentáveis agreguem valor ao Noronha Carbono Neutro.

A ideia é substituir os combustíveis fósseis por biocombustível, incentivar cada vez mais o uso de veículos elétricos, promover mudança na matriz energética e realizar plantio de espécies nativas da mata atlântica para compensação do carbono emitido. Estima-se que no prazo de cinco anos boa parte dessas ações previstas tenham sido concluídas.

Fonte: Eco Desenvolvimento

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização