12 de junho de 2024
Bernardo Cruz, campeão da Pro

Bernardo Cruz vence a abertura do Shimano Brasil Enduro Series

Piloto de Ouro Preto (MG) fez as melhores descidas entre todas as categorias, com 14min11seg454, e largou na frente pela disputa do título do Shimano BES em 2014

Bernardo Cruz, campeão da Pro
Bernardo Cruz, campeão da Pro

Modalidade nascida na Europa há cerca de dez anos e em crescimento no Brasil, o Enduro MTB teve a realização neste domingo (11) da primeira competição brasileira de abrangência nacional. O Shimano Brasil Enduro Series deu a largada no distrito de Itaipava, em Petrópolis, de forma bem sucedida. União de duas vertentes do Mountain Bike, o Cross Country (XC) e o Downhill (DHI), retornando às origens do esporte, com grandes deslocamentos em terrenos desafiadores e pouco explorados, a prova contou com as fases de deslocamentos (D1, D2, D3 e Final), e com os Estágios (E1, E2, e E3), os três cronometrados e valendo para o tempo final de cada piloto.

Das oito categorias em disputa, a Pro foi destaque por reunir alguns dos melhores atletas da elite brasileira. O ciclista Shimano Bernardo Cruz, de Ouro Preto (MG), subiu no lugar mais alto do pódio, com o tempo somado de 14min11seg454 nos três estágios, não dando chances aos seus adversários. Completaram o pódio o catarinense Nataniel Giacomozzi (HUPI Bikes/Santa Cruz) de Ibirama, apenas 7 segundos atrás de Bernardo, e os cariocas Ronny Renke (Shimano) com 15min04min440, Guilherme Renke (Shimano) com 15min06seg103 e Diego Neumann (Pimp Bikeshop) com 15min06seg400.

“Fiz meu rolê e no fim das contas consegui uma vantagem boa nos três trechos. Não teve um estágio específico que me deu o título, mas sim a somatória de todos com regularidade. Me diverti em todos, mas o E1 e o E3 foram os mais legais para mim, porque o E3 foi feito com o final do E1, o que facilitou a memorização”, comemorou Bernardo Cruz. “O Enduro MTB em sua maior parte é o Downhill, mas também exige da preparação física para aguentar todos os deslocamentos. Assim, um cara do Cross Country que anda bem, consegue andar junto. Os tempos de hoje provam que o All Mountain, ou o Enduro, não é apenas descida, mas subir bem”, completou.

Segundo colocado da Pro, Nataniel Giacomozzi já prevê a próxima etapa, que será em seu estado. “Achei muito legal a prova. Como primeira experiência foi bacana demais. A bike muda, então estou feliz em ter participado aqui, de uma prova bem organizada e dura. A segunda etapa será em Santa Catarina, minha casa, e por isso vou treinar o máximo . Ficar em segundo é fogo, sabendo que fiquei muito perto da vitória aqui em Itaipava”, comentou Nataniel.

Nas outras categorias o nível também foi alto. Na Expert, melhor para Luiz Felipe Viani que levou o título com 15min51seg733. Na Máster 1, André Melo repetiu o feito de Luiz Felipe e baixou a casa dos 16 segundos, com 15min24seg597. Na Máster 2, vitória de Gustavo Amorim, com 16min00seg964 e a 3ª medalha de ouro foi para Leonardo Rocha, com 16min44seg696. Henrique Lage venceu na Amador, com 17min01seg033, e Robert Marent sagrou-se campeão da Sênior, com 18min28seg907.

Bia Ferragi, campeã do Feminno
Bia Ferragi, campeã do Feminno

Entre as mulheres, Bia Ferragi (Viper) confirmou seu favoritismo após representar o Brasil no Mundial do Chile, em abril. Na ocasião, a paulistana terminou a prova na segunda colocação. “Já corri outros campeonatos, então minha bagagem e experiência anterioes foram vantagem aqui na abertura do circuito. O que mais me assustou foi o primeiro deslocamento com mais de 20 km de extensão. Tirou muita energia de mim e de outros atletas. O treino e a prova foram pesados, então estou muito feliz com minha participação. Foi acirrada a prova contra atletas de alto nível”, avaliou Bia.

“Estive no Mundial do Chile e na minha opinião em termos organizacionais está elas por elas. Foi uma prova bem organizada e em um local bonito, na região serrana do Rio de Janeiro. A estrutura estava ótima, com lugar para estacionar o carro, banheiro limpo, comida. Nada de errado. Espero que nas próximas etapas o número de pilotos aumente, de uma forma gradativa. O caminho está certo. Ano que vem com certeza teremos 300 pilotos aqui, porque a estrutura é boa e tem procura”, completou.

Organização comemora estreia do campeonato – Ao final de três dias de atividade em Itaipava, os organizadores da primeira competição de Enduro MTB no Brasil com abrangência nacional demonstraram satisfação com a prova. Em agosto, será a vez de Santa Catarina sediar a etapa intermediária, entre os dias 8 e 10. Já os paulistas fecham o campeonato em outubro, nos dias 4 e 5.

“É muito importante para Itaipava receber uma competição deste nível. Aqui sempre foi um berço do MTB, tanto no Cross Country quanto no Downhill, com diversos campeões ao longo dos anos. Quem sabe o Enduro também não confirme essa tradição. A prefeitura apoiou muito e tenho certeza que no futuro continuará nos ajudando. Vamos apresentar os resultados desta estreia e com certeza ano que vem será melhor”, vibrou Théo Duarte.

Natural de Santa Catarina, estado que recebe a próxima etapa, Daniel Bender também festejou. “Depois de muito trabalho, quase oito meses pra construir essa competição, só posso olhar os lados positivos. Foi uma prova excelente, o nível técnico dos estágios cronometrados estava bom e os deslocamentos bem puxados. Pensamos que não seria duro, mas foi e é bom para sentirem que o Enduro tem esse gosto de suor “, conta Bender.

O Shimano Brasil Enduro Series conta com patrocínio máster da Shimano, empresa líder mundial nos mercados de bike e pesca. Tem também os patrocínios de Viper, HUPI Bikes e Santa Cruz Bikes, além de contar com os apoios de Session Brasil, Maxxis/Calypso, Exceed Nutrition, Specialized e Bike & Adventure. Tem o apoio da Prefeitura Municipal de Petrópolis, por meio da Secretaria de Esportes e lazer e Fundação de Cultura e Turismo.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização