16 de junho de 2024

Ciclistas em fúria: Os 5 maiores “chiliquinhos” do Ciclismo de Estrada

Marcel Kittel

Grande parte dos amantes do Ciclismo de Estrada ficaram estarrecidos com a atitude de Marcel Kittel que após uma queda, descarregou toda sua frustração em sua bicicleta, arremessando-a ao chão. O fato aconteceu durante a segunda etapa da Tirreno-Adriático.

A atitude, vista por alguns como anti-profissional e desrespeitosa para com os patrocinadores de sua equipe (Giant-Shimano) não é, todavia, inédita. Muito antes do ataque de “mimimi” do sprinter alemão, outros ciclistas mais famosos do que ele já protagonizaram cenas de “chiliquinho”.

O website britânico Cycling Weekly listou alguns dos maiores ataques de fúria da história do Ciclismo de Estrada. confira:

Marcel Kittel (2014)

O sprinter da equipe Giant-Shimano arremessou sua Giant Propel ao solo como se fosse o Incrível Hulk. Completamente atônito com a bobagem que acabou de fazer, resolveu deitar-se no gramado para refletir (e acalmar) um pouco.

Após o ocorrido, o arrependido Kittel postou suas desculpas na rede social Twitter:

Twitter

Bradley Wiggins (2013)

Durante a quarta etapa do Giro de Trentino, o inglês Bradley Wiggins simplesmente desistiu da subida e lançou sua bike em direção a uma encosta de uma montanha, em uma atitude pouco digna de um “Cavaleiro do Império Britânico”. Caprichosamente, a bicicleta simplesmente se “auto-estacionou” com suavidade, sem maiores consequências. Caso Sir Bradley tentasse fazer isto intencionalmente, provavelmente não conseguiria.

Bjarne Riis (1997)

Conhecido como a Águia de Herning, o dinamarquês Bjarne Riis descarregou toda sua fúria em sua bike, que apresentou problemas mecânicos durante a etapa de contra-relógio do Tour de France de 1997. Seria seu mau humor uma reação adversa decorrente do dopping que o ajudou a vencer o Tour no ano anterior?

David Millar (2008)

Faltando apenas 1 km para finalizar a 5ª etapa de 180km do Giro d’Italia, a corrente da bicicleta de David Millar quebra. É realmente muito azar, e o ciclista britânico sabe exatamente o que fazer nessas horas…

Peter Sagan (2014)

Exemplo típico de “chiliquinho”: Durante a quarta etapa do Tour de Dubai 2014,  Peter Sagan arremessa sua bike após uma queda. O ciclista eslovaco demonstra toda sua técnica, esgueirando-se como um adolescente amuado por vários segundos antes do golpe fatal contra a pobre bicicleta.

Menções honrosas

Mario Cipollini (2003)

Ok, tecnicamente falando isto não foi um arremesso de bicicleta. Mas como deixar de fora nesta lista a famosa cena na qual Cipollini demonstra todo seu desprezo, arremessando uma garrafa de água contra um cinegrafista durante a edição 2003 da Ghent-Wevelgem?

Como desgraça pouca é bobagem, o pobre cinegrafista, juntamente com o motociclista que o carregava, acabaram caindo em frente a Cipo. Praga de ciclista é fogo…

Bernard Hinault (1984)

Para finalizar, uma cena no mínimo bizarra do Ciclismo de Estrada. Em 1984, um grupo de trabalhadores da indústria naval fizeram um protesto bloqueando a estrada onde estava sendo realizada a prova Paris-Nice.

Já que a polícia não conseguir resolver o problema, o conterrâneo Bernard Hinault resolveu o problema no melhor estilo bretão: na “porrada”!

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização