23 de junho de 2024

Essax Shark, um selim com um perfil no mínimo estranho…

shark_capa

A Essax, uma empresa situada em Alicante, Espanha, está lançando não apenas um novo modelo de selim, mas também um novo conceito em ergonomia – aliada a uma boa polêmica.

Baseado nos estudos do especialista em biomecânica Jon Iriberri, da empresa especializada em bike fitting Custom4.us, a Essax desenvolveu o selim Shark que, ao contrário dos concorrentes que procuram eliminar quaisquer excesso de material no meio de seus selins, utiliza uma espécie de “barbatana de tubarão” acolchoada no meio do assento.

O argumento de Iriberri é que o desalinhamento do ciclista em relação ao selim pode causar uma série de problemas posturais, como por exemplo, posicionar mais peso do que o necessário na região do períneo ao invés dos ossos da bacia. além disso, o desalinhamento pode fazer com que o ciclista utilize mais força em uma perna que na outra, diminuindo o desempenho da pedalada e facilitando a ocorrência de lesões nas juntas.

De acordo com os desenvolvedores do Shark, o novo selim com a barbatana centra lmantém o ciclista literalmente “encaixado” na região central do mesmo enquanto pedala.

O selim Shark, que utiliza uma barbatana acolchoada com 100mm de comprimento por 40mm de largura, pode parecer um tanto extravagante mas, de acordo com Jon Iriberri, um vez o ciclista se posicione corretamente sobre a barbatana, ele se “encaixará perfeitamente entre suas nádegas e sequer a notará”. Será?

Convencida dos benefícios decorrentes deste novo conceito, a Essax enviou o selim Shark para ser avalizado pela UCI, que o submeteu ao seu comitê técnico que irá julgar se o mesmo poderá ser utilizado em competições organizadas pelas entidade. Atualmente, as equipes profissionais Continental Team Pro e Caja Rural Seguros RGA já os utilizam.

Ainda não temos informações sobre preços e comercialização no Brasil.

Especificações:

  • Largura: 130 and 140mm
  • Peso: 195 e 210gr
  • Altura da barbatana: 40mm
  • Largura da barbatana: 100mm
error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização