23 de junho de 2024

Lojistas inescrupulosos vendem gato por lebre na Europa

Especialista denuncia: Falsos “revendedores autorizados” estariam comercializando bicicletas com quadros falsificados após “esquentá-los” com peças e componentes legítimos

Especialistas no combate à falsificação de produtos denunciam: um crescente número de lojas e websites na Europa estariam comercializando bicicletas com quadros falsificados após montá-las com componentes similares aos produtos originais para vendê-las a consumidores desavisados.

Quadro partido de uma falsa Pinarello: Risco para o usuário e prejuízo de milhões para a marca
Quadro partido de uma falsa Pinarello: Risco para o usuário e prejuízo de milhões para a marca

Michele Provera, vice-presidente da Convey, uma empresa de consultoria especializada em investigar e fechar websites que comercializam produtos falsificados, diz que o prejuízo decorrente desta prática pode chegar a 10 milhões de euros por ano“O maior problema não está apenas no consumidor que compra deliberadamente um produto fake, mas também em lojas que se intitulam falsamente de ‘revendedores autorizados’ que utilizam o artifício de vender bicicletas com uma mistura de componentes falsos e autênticos com o intuito do lucro fácil”.

Provera destaca que ao intitular-se ‘revendedores autorizados’ agem de má fé, induzindo confiança aos compradores, que acreditam equivocadamente estar adquirindo um produto original.

“Ao adquirir uma bicicleta nesta loja, o comprador poderá acabar comprando, sem saber,  uma bicicleta falsificada com a configuração idêntica à da bicicleta original”, diz Provera. Ele ressalta que o problema tem aumentado de forma impressionante, graças à ação de intermediários que fazem a ponte entre os compradores e fabricantes de quadros fake produzidos no Extremo Oriente. Os quadros falsificados são adquiridos por atacado através de websites especializados neste tipo de produto.

Quadro Specialized Tarmac falso: Sem garantia
Quadro Specialized Tarmac falso: Sem garantia

Um dos maiores temores das grandes marcas vítimas deste golpe é ter sua reputação manchada devido a falhas ou quebras de quadros, já que muitas vezes, clientes indignados postam fotos de quadros quebrados nas redes sociais como se fossem produtos legítimos. “A indústria da bicicleta tem a necessidade extrema e urgente de combater o mercado da falsificação”, afirma Provera. “As grandes marcas estão extremamente preocupadas com questões de responsabilidade jurídica sobre todos os possíveis danos e acidentes que poderiam acontecer com aqueles que compram peças falsas”.

Atualmente, Michele Provera está trabalhando como consultor de uma das maiores vítimas de falsificação na Europa, a Pinarello. Desde que começou a atuar há poucos meses, houve uma significativa redução na oferta de quadros falsos conhecidos popularmente como ‘Chinarellos’, que deram um prejuízo à marca italiana de cerca de mais de 1,3 milhões de dólares.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização